segunda-feira, fevereiro 07, 2011

Ideias de um louco, ou quem sabe nao!


As vezes ja me custa apresentar ideias, pois sou logo intitulado de "sumidade" ou ate outros nomes, ainda menos lisongeiros!
E custa-me tambem, porque infelizmente nao posso ajudar a realiza-las, devido a distancia e falta de recursos.
Mas por vezes, vejo oportunidades que vamos perdendo, e nem sao necessarias grandes verbas, para as por em pratica.
A nossa "terra de Algodres" felizmente tem productos, monumentos, cultura e diversidades, que a tornam um pouco diferente, dentro das particularidades da nossa regiao, pelo que deviamos aproveitar essas diferencas para nos tornarmos referencia!
Temos o "Queijo da Serra", que infelizmente outros se tornaram a charneira da sua defeza, quando deviamos ser nos, mas agora ja nao conseguimos apanhar o comboio!
Temos a "urtiga" que e uma singularidade e que devia ser muito mais aproveitada, do que so para montra!
Temos a saborosissima "murcela de Fornos" que quase nao e conhecida, a nao ser por nos!
Temos o "Cabrito assado no forno" e as "batatas na cacoila", que necessitam de mais divulgacao!
Temos as excelentes e premiadas sopas, mas que para alem do evento, ninguem conhece ou prova!
Isto so para falar em alguns exemplos.
No que toca ao queijo, queria fazer uma sugestao a uma pastelaria de Fornos, porque nao criar o "pastel de queijo da serra", que creio seria original, e tambem um bolo ou pastel identificado com a nossa terra: O "fornito" ou o "algodrito'' por exemplo.
Isto poderia ser tambem aplicado a urtiga, porque nao criar o "pastel de urtiga", era original podem crer!
Quanto aos pratos que nos identificam, gostaria de os ver, em todos os menus dos restaurantes da nossa terra, podendo e como e natural, haver algumas pequenas diferencas entre uns e outros.
Alem disso, tambem as sopas premiadas, deviam ser divulgadas e apresentados nos varios restaurantes municipais.
Tambem gostaria de ver meses gastronomicos tematicos, por exemplo: O mes do "Queijo da Serra" do "Cabrito" dos "Peixes do Rio" da "Murcela" da "Urtiga" das "Sopas algodrenses" do "Bacalhau a Lagareiro" do "Folar de azeite" da "Chourica", etc.
 Nestes meses, todos os restaurantes deviam apresentar menus variados, mas dentro da tematica mensal, para alem dos seus proprios menus diferenciados.
Ja o disse varias vezes, que para sermos conhecidos temos que ser diferentes, nao creio serem necessarios grandes investimentos, para isso acontecer!

6 comentários:

aluap disse...

Que belo Post, que soletra os “Be à Ba” da gastronomia da nossa beira. De facto, as boas coisas deviam ser melhor divulgadas.
Só me resta dizer que continue com as boas divulgações, sempre com olhar atento, pois é uma honra passar no Aqui D´Algodres e ler a visão que tem para estas terras.Que a divulgação continue para ser-mos conhecidos pela nossa diferença, porque de facto somos diferentes e o resultado está hoje um pouco nas fotos e textos que se vão publicando nos nossos blogues.

Aquele abraço ;)

Magno disse...

Temos todos os denominador comum que é a saudade e a paixão que temos por aquela terra...
Apesar de alguns venenos que mancham a imagem da terra...
Nunca em tempo algum o chamaria de louco, por tomar iniciativa de ideias ou a criação de eventos que possam promover Fornos de Algodres.
Se esses eventos contribuirem para a criação de emprego, e a criação de riqueza devem ser aplicados por parte de quem queira investir de forma honesta e respósavel.
Certamente o concelho ficará a ganhar com esta promoção.
O panorama actual é que o próprio distrito tem vindo a sofrer uma grave crise de emprego, pois durante muito tempo achou se que as empresas aí instaladas seriam sustentáveis no tempo...
Talvez em vez da aplicação dos tradicionais métodos de formação deveria ter se apostado na formação de profissionais, mas enfim o tempo já não volta atrás!
Preferiu - se apostar em IPs que custaram muito ao pais quando se percebu que os mesmos não serviam os interesses da região, gastou - se o dobro a fazer auto estradas, que vieram resolver o problema dos IPs...
Agora vai - se portajar muitos dos concelhos da Guarda, minando as PME que ainda sobrevivem, eu pergunto porque não aplicar essa receita ao serviço do investimento e do emprego, em vez de aplicá la em interesses partidários?????
Abraço,
Magno.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
JPCLEMENTE disse...

Realmente, o caminho para o desenvolvimento passaria muito pelas ideias que apresenta, caro Al. Cardoso. Todavia, é necessário, primeiramente, mudar mentalidades.Transparece-me que a juventude já se vai apercebendo disso... Tenhamos a esperança que o amanhã seja melhor para a nossa terra e para as suas gentes.Um abraço amigo

registry cleaner disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Álvaro disse...

Alguma coisa já está a ser feito. Não podemos esquecer po trabalho desenvolvido pela Confraria da Urtiga. As Jornadas Etnobotânicas,o Passeio Micológico, a Feira Regional do Queijo Serra da Estrela são prova de ideias do que se pode fazer, no entanto tem que haver da parte dos interessados (restauração, lojas de artesanato,empresários da área,etc.)uma maior participação nestas iniciativas. Um abraço
Álvaro Melo