quinta-feira, julho 07, 2011

O Censo e as suas Implicacoes!

Ja estava a espera de uma reducao da populacao no concelho de Fornos de Algodres, neste recenceamentode 2011. Ja esperava, porque tem sido essa a nossa fatalidade, desde que em meados do seculo XX, atingimos para cima de 10.000 habitantes e desde ai, tem sido sempre a descer.
Mas francamente nao estava a espera que a descida fosse tao acentuada; 11.28 por cento, ou seja 638 habitantes a menos, em dez anos, era coisa que nao estava a espera. Para mim termos baixado a casa dos 5.000 habitantes, (4.991 mais precisamente) nao so e triste, como muito deprimente!
De que nos vale sermos atravessados por uma autoestrada, por uma linha de comboio internacional e pelo maior rio nascido em territorio nacional?
Para que nos tem servido, termos uma excelente rede de estradas municipais, termos saneamento basico em todas as freguesias, termos edificios publicos modernos e de equipamentos e servicos sociais, culturais e desportivos, se as pessoas nao podem ou nao querem ca viver?
Depois de se ter gasto verbas consideraveis, na reconstrucao de todas as escolas basicas, assistimos ao seu encerramento uma a uma, por falta de alunos, restando neste momento e unicamente, a da sede concelhia!
Temo que por este andamento, nao so vamos assistindo ao encerramento do posto de Correios e GNR do Sobral Pichorro e das escolas basicas em todas as freguesias, mas tambem e porque essa e a lei da vida e os idosos tambem serao cada vez menos, ao encerramento de lares e centros de dia, de que o concelho esta bem servido e onde se tem investido bastante!
Queira D*us que o Hotel, Termas e Spa, sejam suficientes para comecar a inverter a situacao, mas temo bem que nao.
A conjuntura do pais nao vai ajudar nada, e as pessoas vao decerto continuar a abandonar o nosso e os outros concelhos nossos vizinhos, por falta de trabalhos. Constacto que na chamada Beira Interior, (nao consigo gostar deste nome) Distritos da Guarda e Castelo Branco, so este ultimo municipio e o de Vila de Rei e que ganharam populacao! Ainda gostava de saber qual e o trunfo deste ultimo, para alem de ser o centro geodesico de Portugal?
Nao se pode obrigar ninguem a residir onde nao quer, mas se ou menos muitos dos que aqui trabalham ca residissem, seria uma excelente ajuda em todas as areas, mas provavelmente fazendo eco ao dito; "de que se podes viver na vila nao vivas na aldeia, ou se podes viver na cidade nao vivas na vila", provamente nem os futuros trabalhadores do complexo hoteleiro da Esgalhada, ca fixaram a sua residencia!
A terminar so tenho uma pergunta, de que provavelmente nao gostarei nada da resposta, sera que um municipio com menos de 5.000 habitantes, continuara por muito tempo a ter futuro e a ser viavel?!

5 comentários:

JPCLEMENTE disse...

Caro, Al. Cardoso!
Há que mudar mentalidades não só locais como nacionais!
Um abraço amigo

Anónimo disse...

Fornos de Algodres é bastante agradável. É uma pena a desertificação que se verifica, mas a população residente não está preparada para a migração necessária, infelizmente.

Idanhense sonhadora disse...

Pois é amigo , pelos meus lados ainda foi pior ,mais de mil ...Está bem que o concelho é grande e os mais velhos vão partindo mas , Castelo Branco cresceu ...Na verdade é preciso mudar mentalidades ,entre muitas outras coisas .Assim ,há jovens que trabalham em Idanha-a-Nova e moram em Castelo B. ...!!!!Até já há quem chame á estrada que as liga o IC19 da Beira Interior (também não gosto do nome !!!Tudo depende da perspectiva...Afinal quem é mais periférico ,o dito interior ou o litoral?Mas dava pano para mangas... ) O que é certo é que estes 2 pontos cresceram....
Saudações raianas
Quina

aluap disse...

O meu concelho (Aguiar da Beira) também perdeu população (-726 habitantes), mas pelo menos não ficamos abaixo dos 5.000, segundo os dados disponíveis são 5.521, mesmo assim também tenho dúvidas se continuará por muito tempo a ter futuro.

Um abraço forninhense

Anónimo disse...

camara municipal e prestaçao de serviços.

Fornos de Algodres, pode comparar-se a Portugal no seu todo.

trabalho para o estado e prestaçao de serviços em grandes quantidades... mas pouco se produz, logo tem que se comprar de "fora"... este ciclo nao se pode prolongar muito tempo.


para um aglomerado populacional comprar carne que não produz a outro aglomerado populacional, teria que vender batatas a um terceiro aglomerado...

Em Fornos de Algodres trabalha-se para a camara municipal, ou em prestaçao de serviços para as poucas pessoas que ca permanecem. pouco se produz, e muito se "importa" de outros aglomerados populacionais... muito a semelhança do que se faz em portugal em relaçao aos outros paises...

isto vai ter um fim!!!

M. ( Orgulhosamente Fornense )