quinta-feira, janeiro 23, 2014

A Sepultada Estrada "Romano/Medieval"!

Por baixo deste buraco, existe uma "calcada romana"!
Por principio não gosto chorar pelo leite derramado, gosto muito mais de tentar tudo, para que se não derrame!
Mas como infelizmente, o leite já se anda a derramar há muito tempo, não me pude conter de deixar por escrito, algo que, a mim que adoro historia e tudo quanto a ela esteja relacionada, diz respeito!
Tudo tem que ver, com estes enormes "buracos", existentes numa avenida construída há relativamente pouco tempo, na "nossa" vila de Fornos de Algodres!
Sem querer apontar a culpa a ninguém, porque também neste caso, creio que vai morrer solteira, como e praticamente normal, na minha querida Pátria. Não posso no entanto deixar de pensar, que existiu ai uma enorme falta de profissionalismo, de todos os envolvidos nesta obra, porque algo deste género, não se explica unicamente pela natureza ou quanto a ela diz respeito!
Mas o que mais me custa e custou, e isso, desde que esta obra foi delineada, e que e precisamente nos lugares onde ela tem aberto estes buracos, que ficou sepultada uma calcada romana, que seguia em direcção a outro troco que existe junto a Fornos Gare, e que outrora pertenceu a "estrada romana", que atravessava a "Ponte de Juncaens", e dai seguia para Linhares da Beira!

Escrevo isto hoje com magoa, por nunca me terem dado nenhuns ouvidos, e este facto ate já ter originado, que pessoas ligadas a área arqueológica, afirmem que o troco referido junto a A25, perto de Fornos Gare, faz parte do outro que se encontra junto a Capela da Senhora da Graça. Quando nem a preciso mais do que ler a monografia: "Terras de Algodres", Pinheiro Marques, 1938, para sabermos que, enquanto uma ia em direcção a Serra da Estrela (Linhares da Beira), a outra seguia na direcção de Figueiró da Granja e dai para Celorico da Beira, pela Ponte da Lavandeira!

12 comentários:

luis santos disse...

ALguém com olhos...
pena estar longe e o poder ser burro...

al cardoso disse...

Ou nao, caro Luis Santos!

Depende sempre, dos oculos por onde vemos!

Um abraco.

Carlos de Matos disse...

Bom dia,

é realmente triste ver a estrada derocada mas lembro-me como se fosse ontem das obras... foram de forma relâmpago e o ex-libris da paisagem de Fornos de Algodres, aquela encosta verde de oliveiras e prados com rebanhos a pastarem... foi meramente aterrada com entulho ;o((

Duplo atentado historico sem equivoco e ecologico... la esta o resultado rotundas sem acessos e alcatrao esburacado e terras araveis ao monte..

Al para completar sobre a presença da via romana que ligava Viseu a Celorico, fica um link :


http://viasromanas.planetaclix.pt/#viseucelorico


Abraço Aguiarense

Carlos

al cardoso disse...

Bem haja amigo Carlos Matos, por esse link de um site que conheco, mas pode servir de ajuda a outros!

Mas como pode reparar, tambem ai tambem existe confusao devido ao facto de nao haver conhecimentos no terreno. Aquela calcada que referem junto a Senhora da Graca e uma calcada paralela a esta a que me refiro! Esta aqui sepultada, sim seguia em direccao a ponte de Juncais, e Linhares da Beira, a outra seguia rumo a nordeste em direccao a Celorico da Beira, passando por Figueiro da Granja, onde se tem descobertos muitos vestigios romanos principalmente no lugar da "Torre", onde existiu provavelmente uma fortificacao romana! Figueiro tera sido tal como Infias uma "viccus" (aldeia romana)!

Em Infias ou ate ja em Fornos, ter-se-ao, cruzado ou entroncado, duas vias romanas!

Um grande abraco, para si nas terras dos "Galos"!

aluap disse...

Eu nem sabia desta sepultada calçada romana!
Não sei se é viável, mas vamos pensar que vai ter uma melhor solução, que em vez do arranjo dos buracos podem antes criar um percurso para fazer a pé até à Ponte de Juncais. Por exemplo.

Abraço forninhense.

al cardoso disse...

Pois nem sabe voce, nem ja sabe, muita da nova gente de Fornos, amiga aluaP, quanto a esse caminho embora interrompido ja em varios lugares; pela nova avenida, pela rotunda enorme, pela "Zona Industrial", e pela A25, ainda existe so que provavelemente pouco limpo!

Era esse o meu caminho nos meus anos 20, desde a Estacao (minha residencia) ate Fornos, meu e da maioria da populacao que nesse tempo ai residia!

Um abraco de amizade.

Carlos de Matos disse...

Boas,

é verdade que as obras se succederam sem realmente medir o impacto irreversivel da destrucçao de patrimonio milenar.

Outra forma de destrucçao foi o desaparecimento dos freixos e carvalhos centenarios que seguiam a N16... um dia no seculo XIX um cantoneiro da JAE fez uma cova e plantou...nos finais do seculo seguinte vai sendo tudo atacado pelas retroescavadoras ;o((

Quais os projectos da camara ? vao por em segurança, visto o tamanho dos buracos é realmente perigroso

@té breve

Carlos

ed santos disse...

Estou mais uma vez a entrar no seu blog. Embora me dissesse que seria sempre bem vindo, tenho receio de não estar á altura de comentar aqui por ser um leigo em muitos dos assuntos aqui expostos.
No entanto, neste caso também lamento que os poderes locais, com a ânsia de mostrar “serviço” não tenham em conta o património existente. Seria muito bom para a nossa região, que o pregresso avança-se sim, mas sem apagar o passado, porque este seria um património muito valioso para a região, se bem aproveitado
Embora conheça pouco do concelho, mas pela historia sabemos que por aqui passaram as legiões romanas, as investidas castelhanas nas guerras Fernandinas (1372,1385,1396) e nas invasões francesas (1810) e, possivelmente outras, portanto região muito rica em acontecimentos históricos que poderiam muito bem ser aproveitados para aulas de historia, arqueologia e não só. Todos sabemos da assimilação e diferença duma aula visual da dada entre quatro paredes. Toda esta região de Pinhel, Trancoso, Celorico, Fornos de Algodres, Aguiar da Beira, Penalva do Castelo, Mangualde até Viseu, seriam, em minha opinião, bons locais para aulas abertas.

Al Cardoso disse...

Bem Haja caro Ed Santos:
Pois claro que e sempre muito bem vindo, e as suas opinioes muito validas!
De facto e isto sempre com honrosas excepcoes, como sempre, tem-se cometido muitos erros que como diz foram para mostrar servico, por vezes como e o caso a que me refiro, irreversiveis e tal como afirmo ate a originarem erros de divulgacao!
Sim a nossa Beira, mas toda ela tem sido palco de muitos factos historicos, por vezes sem serem conhecidos pelos proprios naturais!
A a sua ideia de aulas dadas em locais onde essa historia aconteceu, decerto motivariam muito mais os alunos.

Um abraco e venha por ca sempre.

Passe tambem pelo http://dalgodres.blogspot.com
esse e muito mais tematico e menos generico.

Bruno Rebelo disse...

Caro Al Cardoso, Tenho seguido os seus blogs com atenção, talvez por vergonha ou por outro tipo de receios não tenho comentado nenhum assunto que nestes se refere com grande razão e por vezes até com equiparada raiva. Sou um mero residente de Algodres, como quase todos os jovens daqui do Concelho tirei um curso, mas limitei-me a ser diferente, tirei Arqueologia. Farto de ver o património seja ele arqueológico e histórico a ser completamente atirado para o lixo decidi oferecer a minha ajuda ás diferentes instancias competentes no município, fui ignorado e por vezes até sou tido como um inconveniente por saber o verdadeiro valor desse patrimonio que de varias formas tem sido esquecido e destruido. Espero sinceramente que as pessoas do concelho um dia possam ser educadas a respeitar e perservar o patrimonio do concelho seja aquele já descoberto e investigado e publicado como o que falta descobrir e investigar para que possamos responder porque somos desta terra e quais sao as nossas origens.

Al Cardoso disse...

Caro Bruno:

Bem haja por comentar, de facto ja ha uns tempos a esta parte (creio que foram proibidos!) deixei de ter comentadores do nosso municipio, mas eu ate compreendo, (o medo) mas sei que felizmente muita gente me le!
Dou-lhe os meus parabens pelo curso que tirou, na realidade no nosso municipio ainda ha muito trabalho a fazer, o que parece que nao ha e dinheiro, para provavelmente e a exemplo de outros municipios, Fornos de Algodres ter um arqueologo, e o melhor seria uma pessoa como o senhor que e da terra, e creio a ama tanto como eu!
Olhe gostava mesmo muito de conversar consigo, e ate de certa forma, o motivar para algo que esta bastante necessitado de ser divulgado!

Caso deseje contacte-me pelo email que pode ver no meu profile!

Um abraco de amizade dalgodrense.

Carlos de Matos disse...

Boa noite

parabens Sr Rebelo pelo curso que tirou e sinceramente não perca a motivação que o levou um dia a tomar esse rumo. Ha muita coisa a fazer e oportunidades não faltarão. Esse artigo sobre a estrada sobeterrada é uma ilustração do pior que se pode fazer em Portugal. Imagine noutras terras o valor do passado para a riqueza do futuro... que haja educaçao de qualidade e open mindedness nas novas geraçoes que tomarão o destino da nessa terra.

Um abraço para Sr Eduardo, sempre alerta e bom companheiro como a ultima vez onde partilhamos nessa caminhada no vale do Dão que une a nossa terra um pouco mais longe desse belo Mondego.

Cumprimentos

Carlos de Matos