sexta-feira, março 16, 2007

ENSINO PROFISSIONAL OU TECNICO!


E mais que sabido, que nem toda a gente tem vontade nem capacidade para o ensino universitario, tambem esta mais que provado, que o ensino que presentemente se pratica nas escolas secundarias, esta vocacionado para todos quantos querem um curso universitario e, a todos quantos nao o seguem, nao se lhes da praticamente formacao profissional nenhuma.

Ora devido a muito mas decisoes dos varios governos a seguir a revolucao, uma grande parte dos licenciados dos politecnicos e universidades, saiem deles sem um curso que lhes garanta um trabalho, (nao emprego que isso e outra coisa) e acabam por desempenhar profissoes, que nao so nao tem nada que ver com o curso que tiraram, como nao auferem nelas salarios compativeis com os anos que passaram a estudar.

E por isso urgente investir noutros tipos de ensino e, nem e necessario "inventar a roda". Um desses diferentes ensinos e um ja com provas mais que dadas, e aquele que presentemente se pratica nas escolas profissionais, herdeiras daquele ensino que os da minha geracao conheceram, praticado nas saudosas "Escolas Tecnicas", mais tarde transformadas em "Comerciais e Industriais"!

Nao e necessario irmos a outras regioes, para nos dar-mos conta da falta de profissionais em varias areas: Pedreiros, canteiros, carpinteiros, merceneiros, electricistas, canalizadores, tecnicos de frio e, isto para so me referir a area da construcao. Hoje infelizmente as novas geracoes, ja nem sequer sabem nada, de horticultura, floricultura, fruticultura ou jardinagem!

Todas estas areas que referi, mas poderia lembrar muitas mais, sao rentaveis se os jovens que nao tem inclinacao ou possibilidades para seguir cursos universitarios, as aprenderem, dedicando-se a trabalhar nessas profissoes formando pequenas empresas familiares.

Muitos dir-me-ao, que na area da construcao por exemplo, ja existem muitas empresas e algumas delas ate se encontram sem trabalho, mas eu sei e todos quantos necessitam de um profissional para pequenas reparacoes, sabem muito bem; que quando procuramos um destes profissionais, temos que pedir por favor e mesmo assim poucos sao os que se encontram e, quando se encontram vem tarde e a mas horas!

Quando eu vejo um problema normalmente encontro uma ou mais solucoes, poderam ser ou nao boas depende do ponto de vista, mas a falta de melhores ideias, vejo algumas potencialidades que podem e devem ser exploradas, se quem governa os municipios quizer criar um verdadeiro desenvolvimento sustentavel, para esta regiao desertificada de gente e de ideias.

Infelizmente ou nao, este ano escolar ja nao abriu o Seminario de S. Jose em Fornos de Algodres, pelas razoes mais que sabidas, da forma em como vao as coisas nunca mais abrira, nao so por falta de vocacoes mas porque a igreja delineou outro modelo de formacao sacerdotal.

Entao se temos este belo edificio educacional praticamente devoluto, por nao criar nele e na quinta que o circunda, uma Escola Profissional ou ate uma extencao de outra ja existente, como a de Trancoso nossa vizinha por exemplo?!

O governo tem-se fartado de apreguar, que as novas verbas do "QREN" ou la como se diz, vao ser aplicadas em projectos de formacao e que envolvam cooperacao intermunicipal, entao que estamos a espera para por a andar projectos que criam formacao e trabalhos, para que as novas geracoes nao tenham que continuar a sina, que desde ha tempo demais tem sido a da gente da nossa Beira esquecida.

Vi um dia destes, uma reportagem sobre uma escola profissional criada no Minho entre os municipios de Amares, Terras do Bouro e Vila Verde, que rico exemplo de cooperacao e sem guerrinhas intestinas. E com uniao entre vizinhos tantos anos de costas voltadas, que se resolvem os problemas e nao com projectos por vezes megalonomos ou missoes de duvidosos resultados.

Provavelmente vao dizer-me que a Igreja Catolica, nao esta interessada em ceder o seminario, mas eu estou convicto de que se forem acautelados os seus interesses e se lhe for apresentado um projecto credivel, a Igreja presentemente ja se encontra com uma outra abertura! Nao custa nada tentar nao e?

21 comentários:

O Alfarrabista disse...

Parece que o site do nosso municipio, o qual deveria servir de "farol" para nós cibernautas Fornenses continua parado. É com estas e outras falhas, que qualquer dia Fornos de Algodres se tornará a capital nacional da Inércia.

Fernando disse...

Saudações
Não sei se será do seu conhecimento mas esta parceria entre Igreja Católica e Ensino Profissional já existe aqui bem perto de nós, Gouveia. E pelo que vejo tem dado muito bons resultados, basta ver a taxa de empregabilidade dos alunos de lá saidos. O Ensino Profissional será sempre viável, desde que se olhe para ele com seriedade e não com falsos paternalismos.

Debaixo do Bulcão disse...

Olá!
Desta vez venho aqui só para dizer que este blog já está "linkado" em
vitorinices.blogspot.com

Até à próxima!

António Vitorino

Frederico disse...

A ideia parece-me muito interessante. Vou fazer a abordagem aos técnicos da Rede Social dos municipios vizinhos para avaliar a possibilidade dessa cooperação.

Voltarei aqui com mais informção.

Um abraço

Vladimir disse...

Para si o que é o destino?

MRelvas disse...

Caro amigo,com um abraço por tal texto.Uma preocupação e uma realidade!

Aqui deixo:

Portugal sem ideais



Ontem fui a Vale de Azares, Celorico da Beira.Terra de meus avós paternos e de meu pai. Fui despedir-me de uma tia que "partiu".Mais um funeral.
Junto à capela, enquanto decorriam as cerimónias, passava os olhos pelas gentes da terra. A população conta a geração dos mais idosos e de alguns, poucos jovens que ali estudam enquanto os pais estão no estrangeiro. A faixa intermédia que por ali resta, trabalha fora, na Guarda e noutras cidades do litoral, mas em força em Itália, em França e até Espanha.
Enquanto seguia em cortejo, a pé da Capela de S. Brás até ao cemitério fui olhando os terrenos que outrora conheci cheios de vida agrícola e de gente que cuidava dela em alegria, em comunhão e divisão de tarefas.Fiquei triste pelo abandono. Os rebanhos de ovelhas foram substituídos pelas carrinhas que trazem o leite de Espanha para fazerem o nosso Queijo da Serra. A alegria de outrora está transformada em desalento e espera da partida para a última viagem.
Verifiquei com algum espanto e alegria que no cimo da Serra (por cima da Senhora de Azares-Padroeira de Vale de Azares) estavam colocadas as "ventoinhas" gigantes de energia eólica...a única coisa que o progresso trouxe à pacatez da aldeia e da Vila de Celorico da Beira- "Capital do Queijo da Serra"!
No meio deste abandono a que votaram o nosso interior, as nossas autoridades governativas, onde acabaram com a agricultura e com a pecuária, vi algumas casas novas, belas vivendas, fechadas, pois os seus proprietários estão longe e não pensam voltar. Só em Agosto, nas férias de verão!
Assim vai o nosso interior, a alma de Portugal, esquecida, votada ao abandono.
Pobre Portugal que não conserva e incentiva os ideais dos portugueses, a alma e chama Lusa que se apaga!

Anónimo disse...

A ideia é muito boa,mas não podemos esquecer estamos em Fornos de Algodres!Não que a nossa vila que eu gosto muito tenha culpa de estarmos atrasados de não se fazer nada para sairmos do marasmo em que estamos!Mas sim as pessoas que nos governam,no primeiro mandato desta equipa camarária eu ainda pensei para comigo estamos no bom caminho!Hoje nove anos depois cheguei á triste conclusão que tirando algumas obras que eu não discuto se nessessárias ou não, pois quando se dá trabalho penso que todas as obras são boas,mas desenvolvimento mesmo é coisa que continua a não existir,não se fez nada que realmente nos fizesse chegar ao século vinte um.Olhando á minha volta eu penso porque FORNOS não se desenvolve estamos junto á auto estrada a á 25 temos o caminho de ferro,o caminho para a EUROPA passa por aqui!será falta de vontade POLITICA? Ficam estas minhas perguntas em geito de desabafo.
A.Cardoso

Amaral disse...

Al Cardoso
("Infelizmente ou nao, este ano escolar ja nao abriu o Seminario de S. Jose em Fornos de Algodres, pelas razoes mais que sabidas e, da forma em como vao as coisas nunca mais abrira, nao so por falta de vocacoes mas porque a igreja delineou outro modelo de formacao sacerdotal.")
Bela ideia. Eu andei vários anos nesse seminário e acho que é preferível tê-lo ocupado do que abandonado.

Magno disse...

Saudações
Obrigado pela observação atenta que tem em prol do nosso municipio!
A exposição a respeito do aproveitamento do seminário ao serviço dos Fornenses e de toda a região deve ser aproveitada por parte das entidades competentes.
Saudações,
Magno

A. João Soares disse...

A ideia é boa. Há que dar formação às pessoas para poderem ganhar o pão com o suor do seu rosto. Existem muitas oportunidades de negócio, o que falta é iniciativa, por ausência de formação. Levantar o problema é o primeiro passo, depois há que divulgá-lo, pois ele tem interesse em todo o País.
Se não se importa, vou divulgá-lo no «Do Mirante». Temos que acreditar na força dos blogs para acordar as pessoas que andam adormecidas e anestesiadas com coisas secundárias.
Um abraço

Moura disse...

Relativamente aos pontos de vista apresentados sobre o estado da educação, concordo plenamente. De facto foi-se de um 8 para um 80 quanto a cursos técnicos/profissionais depois da revolução. Penso que se está a tentar mudar...mas está difícil!
QUanto ao seminário...bem que podia ser útil a bem da região através de uma cedência de espaços para os ditos cursos.
Um abraço

O JACARÉ 007 disse...

FRASE DO DIA:

OS BEIRÕES NÃO BATEM EM MULHERES.... A NÃO SER QUE SE CHAMEM ZEZINHAS.

Klatuu o embuçado disse...

O ensino é mau... e surreal... desactivaram há muito as antigas escolas técnicas, para agora voltarem com cursos «profissionais» às secundárias, sem meios nem oficinas!
Enfim, um ensino de fachada.

Abraço.

O Micróbio II disse...

O que importa neste momento é recuperar o sentido inicial dos Politécnicos... não foram criados para promover licenciaturas nem mestrados! Quanto ao edifício da Igreja Católica... bom, no início da implantação da república em Portugal (e já antes o Marquês de Pombal o tinha feito) confiscaram-se os bens à Igreja... o que me admira ainda é que sobrem alguns!

MRelvas disse...

Seria bom que as pessoas, todos nós, reflectíssimos nas respostas de Marcola líder do PCC.Isto é uma realidade que se passa não só no Brasil, mas em todo o mundo.É claro que ali se torna mais visível!...

Mas numa altura em que as forças de segurança se tornam cada vez mais civis!?...e os gangues,mafias e tudo o resto cada vez mais profissionais, é hora de reflectir.Um indivíduo destes nada tem a perder, enquanto os policais estão preocupados com o ritmo de vida, as famílias e passam o tempo a olhar para os relógios e dizem:

Ainda falta tanto para saír de serviço!...
O crime é cada vez mais profissional e está em todos os sectores.Temos que profissionalizar cada vez mais as forças de segurança e dar-lhes meios. para depois lhes exigir um combate mais iqualitário!
Não está fácil.
Reflictam!...
Mário Relvas
--------------

Retrato de um certo Brasil, cada vez mais extenso.

"Sim, porque eu leio Dante..." diz o entrevistado....

Entrevista dada ao Jornal O GLOBO por "Marcola", o líder do PCC
Colunista: Ronaldo Jabor

NOTA: Marcola é o chefe dos "gangs" brasileiros que puseram S. Paulo a ferro e fogo.

- "Você é do PCC?"

- Mais que isso, eu sou um sinal de novos tempos. Eu era pobre e invisível... vocês nunca me olharam durante décadas... E antigamente era mole resolver o problema da miséria... O diagnóstico era óbvio: migração rural,
desnível de renda, poucas favelas, ralas periferias. A solução que nunca vinha... Que fizeram ? Nada. O governo federal alguma vez alocou uma verba para nós? Nós só aparecíamos nos desabamentos no morro ou nas músicas românticas sobre a "beleza dos morros ao amanhecer", essas coisas... Agora, estamos ricos com a multinacional do pó. E vocês estão morrendo de medo... Nós somos início tardio de vossa consciência social... Viu? Sou culto... Leio Dante na prisão...

- Mas... A solução seria...

- Solução? Não há mais solução, cara... A própria ideia de "solução" já é um erro. Já olhou o tamanho das 560 favelas do Rio? Já andou de helicóptero por cima da periferia de São Paulo? Solução como? Só viria com muitos bilhões de dólares gastos organizadamente, com um governante de alto nível, uma imensa vontade política, crescimento económico, revolução na educação, urbanização geral; e tudo teria de ser sob a batuta quase que de uma "tirania esclarecida", que pulasse por cima da paralisia burocrática secular, que passasse por cima do Legislativo cúmplice (Ou você acha que os 287 sanguessugas vão agir? Se bobear, vão roubar até o PCC...) e do Judiciário, que impede punições. Teria de haver uma reforma radical do processo penal do país, teria de haver comunicação e inteligência entre polícias municipais, estaduais e federais (nós fazemos até Conference Calls entre presídios...) E tudo isso custaria bilhões de dólares e implicaria numa mudança psicossocial profunda na estrutura política do país. Ou seja: é impossível. Não há solução.

- Você não têm medo de morrer?

- Você é que têm medo de morrer, eu não. Aliás, aqui na cadeia vocês não podem entrar e me matar... Mas eu posso mandar matar vocês lá fora.. Nós somos homens-bomba. Na favela tem cem mil homens-bomba... Estamos no centro do Insolúvel, mesmo... Vocês no bem e eu no mal e, no meio, a fronteira da morte, a única fronteira. Já somos uma outra espécie, já somos outros bichos, diferentes de vocês. A morte para vocês é um drama cristão numa cama, no ataque do coração... A morte para nós é o presunto diário, desovado numa vala... Vocês intelectuais não falavam em luta de classes, em "seja marginal, seja herói"? Pois é: chegamos, somos nós! Ha, ha... Vocês nunca esperavam esses guerreiros do pó, né? Eu sou inteligente. Eu leio, li
3.000 livros e leio Dante... Mas meus soldados todos são estranhas anomalias do desenvolvimento torto desse país. Não há mais proletários, ou infelizes ou explorados. Há uma terceira coisa crescendo aí fora, cultivado na lama, se educando no absoluto analfabetismo, se diplomando nas cadeias, como um monstro Alien escondido nas brechas da cidade. Já surgiu uma nova linguagem. Vocês não ouvem as gravações feitas "com autorização da Justiça"? Pois é. É outra língua. Estamos diante de uma espécie de pós-miséria. Isso. A pós-miséria gera uma nova cultura assassina, ajudada pela tecnologia, satélites, celulares, Internet, armas modernas. É a merda com chips, com megabytes. Meus comandados são uma mutação da espécie social, são fungos de um grande erro sujo.

- O que mudou nas periferias?

- Grana. A gente hoje tem. Você acha que quem tem US$40 milhões como o Beira-Mar não manda? Com 40 milhões a prisão é um hotel, um escritório... Qual a polícia que vai queimar essa mina de ouro, tá ligado? Nós somos uma empresa moderna, rica. Se funcionário vacila, é despedido e jogado no "microondas"... Ha, ha... Vocês são o Estado quebrado, dominado por incompetentes. Nós temos métodos ágeis de gestão. Vocês são lentos e burocráticos. Nós lutamos em terreno próprio. Vocês, em terra estranha. Nós não tememos a morte. Vocês morrem de medo. Nós somos bem armados. Vocês vão de três-oitão. Nós estamos no ataque. Vocês, na defesa. Vocês têm mania de humanismo. Nós somos cruéis, sem piedade. Vocês nos transformam em superstars do crime. Nós fazemos vocês de COMANDOSos. Nós somos ajudados pela população das favelas, por medo ou por amor. Vocês são odiados. Vocês são regionais, provincianos. Nossas armas e produto vêm de fora, somos globais. Nós não esquecemos de vocês, são nossos fregueses. Vocês nos esquecem assim
que passa o surto de violência.

- Mas o que devemos fazer?

- Vou dar um toque, mesmo contra mim. Peguem os barões do pó! Tem deputado, senador, tem generais, tem até ex-presidentes do Paraguai nas paradas de cocaína e armas. Mas quem vai fazer isso? O Exército? Com que grana? Não tem dinheiro nem para o rancho dos recrutas... O país está quebrado, sustentando um Estado morto a juros de 20% ao ano, e o Lula ainda aumenta os gastos públicos, empregando 40 mil picaretas. O Exército vai lutar contra o PCC e o CV? Estou lendo o Klausewitz, "Sobre a guerra". Não há perspectiva de êxito... Nós somos formigas devoradoras, escondidas nas brechas... A gente já tem até foguete antitanques... Se bobear, vão rolar uns Stingers aí... Pra acabar com a gente, só jogando bomba atómica nas favelas... Aliás, a gente acaba arranjando também uma daquelas bombas sujas mesmo... Já pensou? Ipanema radioativa?

- Mas... não haveria solução?

- Vocês só podem chegar a algum sucesso se desistirem de defender a "normalidade". Não há mais normalidade alguma. Vocês precisam fazer uma autocrítica da própria incompetência. Mas vou ser franco... na boa... na moral... Estamos todos no centro do Insolúvel. Só que nós vivemos dele e vocês... não têm saída. Só a merda. E nós já trabalhamos dentro dela. Olha aqui, mano, não há solução. Sabem porquê? Porque vocês não entendem nem a extensão do problema. Como escreveu o divino Dante: "Lasciate ogni speranza
voi che entrate!" - Vocês que estão entrando, percam todas as esperanças. Estamos todos no inferno. "

Luis Almeida Pina disse...

Amigo Cardoso, que belo tema por si escrito, é pena que os nossos responsáveis autárquicos, não saibam ler e apenas terem pachorra para lerem o Jornal A Bola, ou qualquer pasquim político, e não perderem um pouco de tempo pela maior familia universal que é a Net, e o que por cá se faz, mas principalmente pelo seu Blog, que traz temas de muita qualidade.
Mas como acima dizia é pena que não leiam, o que de bom se podia fazer e não andarem a lamentar determinadas coisas de que são eles os principais senhores do atraso deste Concelho.
Bem mas vamos lá olhar um pouco pela foto que junta ao seu artigo, o Seminário de Fornos de Algodres, que em tempos muito perto, recolhia muita juventude do nosso concelho bem como de outros deste Portugal, este ano fechou, por falata de jovens, e em vez de se procurar criar um polo de uma escola profissional, falam os ditos letrados na aquisição para uma Pousada de não sei o quê.... que pena a visão desta gente ser tão curta, mesmo muito curta.
Enfim é isto que temos por cá, os nossos filhos terão sempre que ir para longe ser mais alguém.
Um abraço

Luis Almeida Pina

O Micróbio II disse...

4 anitos... lá pelo Micróbio! :-)

al cardoso disse...

Caro Pina:

Eles saberem ler ate sabem, creio ate que passaram pelos meus sitios algumas vezes, so que nao deixam rasto.
Muito gostaria que sim deixassem e dessem tambem as suas opinioes, todos nunca seremos demais para desenvolver a nossa terra.

Quanto ao facto de transformar o seminario em pousada, ate nem seria ma ideia se nao existi-se ja uma em Vila Ruiva e um hotel a ser construido em breve ("dizem").
Com a residencial que ja existe, creio que e oferta mais que suficiente para uma terra como a nossa!

Continuo convicto de que a minha ideia, iria gerar muito mais valor e sustentabilidade economica. O que e necessario na minha opiniao, e criar diversidade com qualidade.
A menos a os trabalhos que se desejem sejam trabalhos de menor qualidade!!!

Nao quero pensar que como ja um meu amigo escreveu: "queiram que a vila se transforme numa quinta!!!"

morffina disse...

Bastará uns eurositos! Digo eu ...

Abraço
MF

avelana disse...

pois tb me parece muito interessante esse projecto;
no Fundão o Seminário tb está às moscas e sem possibilidades de cuidarem da extensa quinta que está quase ao abandono. Devem ser mais os padres que os seminaristas que cedo abandonam aquele local .
Estive lá há tempos em visita a um familiar - um espaço lindissimo, cheio de árvores de fruto, de máquinass agriciolas a apodrecer, beirais repletos de duas e tres camadas de ninhos de andorinhas ...
uma esperança renovada em cada ano, talvez também um dia aquelas instalações possam de novo albergar os risos e as falas de outras crianças e adolescentes, em novos contextos, novos cursos, com saidas profissionais asseguradas

Um abraço

renato disse...

Boa tarde
Conhe�o a zona de fornos de algodres e o ensino profissional e parece-me um projecto com "pernas" para andar.
Acho deveras interessante a ideia e aproveito para deixar contacto para poss�vel colaborador.
tlm 919120723 / 967984575
Os meus cumprimentos e aguardo resposta.