quarta-feira, abril 18, 2007

Regionalmente Falando!

Ultimamente ja se comeca com insistencia a falar na "Regionalizacao", gente de todos os quadrantes politicos, fundou ou vai fundar, uma associacao supra-regional, com a finalidade de recolha de assinaturas, para obrigar a Assembleia da Republica a discutir o assunto, ou a promover novo referendo.
Ao mesmo tempo constacto que o mais consensual, e uma regionalizacao com base nas cinco regioes plano. Resalvando alguns ajustamentos de fronteira, que devem ser decididos pelas populacoes afectadas, tambem e essa a minha proposta.
Como sempre existem tambem, os que por um motivo ou outro estao contra.
Embora podendo opinar sobre as varias regioes, vou-me desta vez referir e dedicar a minha regiao "Centro", ou "Beira", ou qualquer outro nome que lhe queiram por, que em meu ver nem e o mais importante.
Dizem alguns que so concordam, se esta regiao tiver a sede em Coimbra, outros que ate ao Mondego e uma regiao e dai para baixo ja e outra. (ainda queria ver se partiam Coimbra em duas)
Ha tambem outros mais cordatos, que opinam que o ideal era descentralizar servicos por toda a regiao, nao colocando tudo numa unica cidade. (ou vila digo eu)
Eu sou dos que defendem uma grande regiao descentralizada, em que a sede estivesse numa cidade ou vila pequena ou media, pois as grandes ( no nosso caso medias) tem ja condicoes de continuar a desenvolver-se, e nao necessitam desse estatuto para assim continuarem.
Alem disso uma decisao destas, iria esbater muitas das rivalidades regionais.
Que entrave colocariam Aveiro ou Guarda, Coimbra ou Castelo Branco, Covilha ou Viseu, se a sede da futura regiao, fica-se localizada por exemplo em Oliveira do Hospital? Ate e bastante central!

14 comentários:

Amaral disse...

Al Cardoso
é a velha questão de sempre: quem se lixa é o mexilhão. "Capital" da região sem ser Guarda, Aveiro, Viseu, Coimbra?... Seria bonito. Esperemos que a regionalização não sirva para acentuar mais ainda as diferenças que já existem.
Abraço

Magno disse...

Conhece a forma como o Instituto Nacional de Estatisica, repartiu o país para fins estatisticos?
A meu ver em NUTS III - Nomenclaturas de Unidades Territoriais para fins Estatisitcos, tinha mais lógica.
Fornos de Algodres encontra - se na NUTS III - Serra da Estrela, de onde fazem parte Seia, e Gouveia.
No que concerne a uma verdadeira descentralização dos serviços públicos, e não criando monopolios centralizados, na Guarda, Viseu, Coimbra.
Os serviços públicos essenciais devem estar ao serviço da população de todo o país, criar capitais nas regiões a meu ver é uma forma de descriminização.
No entanto como a actual politica é cortar e centralizar em nome da despesa pública, temo que se acentuem ainda mais as diferenças.
Se quiser consultar o mapa das NUTS III, consute o site://www.ine.pt
Um abraço

Pete disse...

A questão da Regionalização é complicada e controversa e de certeza que ainda muita tinta virá a correr. Eu não tenho uma opinião formada sobre a mesma, mas tentarei pôr-me a par, para analisar os prós/contras da mesma.

Um Abraço e boa semana.

Belzebu disse...

Em principio sou contra a regionalização, não estou certo que seja essa a via! No anterior referendo votei contra e se for novamente chamado a pronunciar, farei provavelmente o mesmo. A descentralização é essencial e quanto a isso não tenho qualquer reserva, mas continuo a achar que o poder autárquico tem que assumir esse papel. Não é criando regiões contra a vontade das populações, criando novos cargos admnistrativos, novas funções, para resolver questões tão distintas como as de Braga e uma qualquer aldeia dos confins do Gerês!

Mas estou sempre disponível a mudar de opinião, desde que sejam convincentes!

Saudações infernais e monárquicas!

greentea disse...

já a minha tia dizia isso em 1950...

beijinhos

MRelvas disse...

Caro Al Cardoso, sinceramente a minha opinião não é favorável a quelquer regionalização programada e falada até agora.

Digo-lhe que os partidos já falam com os presidentes de camara que estão há "30 anos" nas "suas" autarquias para serem os futuros ditos.

Não me parece que isso resolva algo!

Veremos

Abraço
MR

CMatos disse...

Central, central é mesmo Santiago de Cassurrães...
Agora a sério.... não acho que se deva atribuir capitais às regiões (se chegar a haver regionalização), distribuam-se os serviços mas sem "títulos".
Capital só há uma, é Lisboa e mais nada, é como no Futebol... Equipas Portuguesas só há uma é o Sporting (de Portugal) e mais nenhuma!
Tenho dito.
Bom fim de semana

A. João Soares disse...

Caros bloguistas,
A capital da região tem de ser em BARBEITA, capital do Mundo, em cujos arredores fica a cidade de Viseu!!!
É muito interessante que se analisem todos os pormenores quanto a factores condicionantes, vantagens e inconvenientes, de fragmentar o País em regiões. É certo que há muitas decisões que devem ser tomadas localmente por quem sente os problemas. Mas não podemos ver deixados ao seu destino regiões sem recursos para recuperarem o atraso em que agora vivem. Tem de haver regras de gestão bem definidas e dar ao poder central o esforço de equilibrar a vida das regiões para evitar maiores diferenças do que as actuais entre o litoral e o interior.
Mais do que o território, os responsáveis pela gestão da coisa pública, devem estar focalizados nas pessoas para lhes garantirem condições de boa qualidade de vida, de felicidade.
Sugiro uma visita ao post «DESERTIFICAÇÃO DO INTERIOR» no blog Do Mirante. Este tema merece muita reflexão e esclarecimento, nunca esquecendo os escândalos ocorridos em muitas autarquias com as empresas municipais, a corrupção, etc.
Abraços

Anónimo disse...

Concordo com a regionalização ou outra qualquer forma que contrarie a desertificação,não sei se seria preciso uma capital ou não,mas os serviços deveriam ser distribuidos por diverssas localidades,alguma coisa devia ser feita pois o interior do país corre o risco de ficar deserto pois ao fecharem serviços essenciais para a população teremos imigrar para as cidades ou para fora do país.

ass.CYBER CAFÉ ZONA SUL FORNOS DE ALGODRES A.Cardoso

Tozé Franco disse...

Acho um Portugal um país demasiado centralista. No entanto tenho dúvidas em relação à regionalização, pois tenho medo de ver aparecer pequenas Lisboas e sabemos que as imitaçõs são sempre piores que o original.
De qualquer maneira, acho interessante a solução espanhola de escolher para sede dos governos regionais cidades secundárias que não são ca+itais de província.
A ideia de Oliveira do Hospital é interessante, mas não vejo que os pssíveis candidatos estivessem dispostos a isso.
Um abraço.

Jofre Alves disse...

Passei para lhe desejar um óptimo fim-de-semana!

Moura disse...

Concordo plenamente com a colocação de uma sede num sítio pouco desenvolvido. Resolviam-se dois problemas, a disputa pela liderança regional e o desenvolvimento de uma zona dotada até então ao abandono.
Um abraço

A. João Soares disse...

Parabéns.
Visite o DO Miradouro e receba o seu prémio

Thinking Blogger Award

Recebi do blog O Anarquista o prémio Thinking Blogger Award, um selo que promove a divulgação de memes (genes culturais de Richard Dawkins) e que implica a eleição de cinco blogues considerando que estes nos fazem pensar. Desde já agradeço ao amigo Savonarola a distinção de me incluir nesta lista muito honrosa. É meu dever indicar e promover blogs que duma forma ou de outra me fazem reflectir.

- Alcobaça. Gentes e Frentes – Um alfobre de ideias que transcendem o interese regional e estimulam a reflexão sobre temas pouco vulgares.

- Aqui d'Algodres – Pela defesa interessada da sua região, sem esquecer o País total.

- Fio do Prumo - Esclarecimentos de assuntos que passam um pouco ao lado das preocupações gerais e sem cair no excesso de corporativismo.

- Montado Altaneiro – Um estilo de escrita que nos estimula a aperfeiçoar o Português literário, com forte vertente patriótica.

- Uivomania – Um brito de alerta para acordar os distraídos e olharem os problemas regionais que não devem ser menosprezados.

O «Do Miradouro» agradece esta distinção ao caro amigo Anarquista, Savonarola, e, àqueles que com as suas visitas e os comentários que deixaram foram os principais obreiros desta posição alcançada pelo estímulo e inspiração para os trabalhos aqui expostos. Um blogue é obra de todos vós e só não vos envio um pedaço deste selo, porque não sei como fazê-lo.

Muito obrigado e espero que continuem a ajudar-me para vos dar mais prazer com o que aqui vier a ser publicado.

Parabéns e um abraço
A. João Soares

Sei que existes disse...

Sinceramente acho que todos os serviços públicos devem estar ao alcance de todos.
Beijocas