sábado, março 18, 2006

A REGIAO DA BEIRA (ou BEIRAS ou CENTRO)

Parece que o sentido comum comecou a imperar, para os senhores que nos governam e, que vamos brevemente ver nascer, a grande regiao que eu sempre advoguei. Pelo que ouvi na comunicacao social, essa regiao abrangera o que mais ou menos, o outrora foi a Provincia da Beira. Nem importa muito o nome que lhe ponham, o que importa isso sim, e que comecam (tardimente em minha opiniao) a descentralizar servicos e competencias.

So gostaria e que os nossos governantes, acabassem com as rivalidades, entre as cidades medias que outrora foram capitais de distrito e, deslocassem os varios servicos para as pequenas vilas e cidades e, assim contribuissem para o seu desenvolvimento.

Isso sim seria contribuir para estancar a desertificacao acentuada, e fazer algo pelo interior esquecido do nosso pais. Tambem podera esta ideia servir nao so para a nossa regiao mas para todas elas.

2 comentários:

mao morto disse...

Agora o território continental está organizado nas AM`s (Áreas Metropolitanas) - aglomerações de concelhos com mais de 300 mil habitantes, ou Comunidades Urbanas - qiuando esse valor é de 100 mil "almas".

Nome pomposo, que no caso de Viseu levou ao caricato de se "mendigar" a um concelho pequeno - julgo que Tarouca - para aderir à AM Viseu, para se almejar o objectivo dos 300 mil. E aquelas "rivalidades de capela" que levaram Mortágua a aderir à AM de Coimbra - aliás, fica mais perto de Coimbra que de Viseu...

Importante mesmo é eliminarem as "inutilidades" dos 18 Governadores-Civis, passando a haver cinco.

Também aqui "less is more".

Reimouro disse...

O nosso problema, que estamos nas regiões periféricas ou interiorizadas, é que os "nossos" políticos têm um discurso enquanto oposição e outro no poder. Chama-se a isto incoerência. E não há que tirar duns para pôr noutros – são iguais na atitude. Em campanha eleitoral, fica bonito falar de litoral, interior, assimetrias e outros chavões. O pior é a seguir facilmente entram num ciclo vicioso negativo: Não há votos (gente)>> não há investimento – não há investimento>> não haverá votos (crescimento).
Parabéns por este tema que daria/dará “pano para mangas”.