sexta-feira, setembro 07, 2007

O "Queijo Serra da Estrela" ( e eu a dar-lhe!)


Ja por aqui falei varias vezes, do nosso embaixador; o "Queijo", tambem ja me referi que este producto, e produzido maioritariamente no vale do alto Mondego, estando a sua maior producao concentrada nos municipios de Celorico da Beira e Fornos de Algodres.

Ora em Celorico, tem-lhe dedicado mais atencao e ate reconverteram uma construcao antiga, em "Solar do Queijo da Serra", mas muito mais do que isso, o comercio local tem potenciado este producto com casas que se dedicam a sua promocao e ao seu comercio. A camara desde concelho tambem tem promovido os productos regionais no estrangeiro, em Lisboa, no Porto e em muitas feiras regionais!

Pois pela nossa terra os nossos comerciantes pouco para ai se tem virado, embora se possa ver a venda em varios sitios, nao tem a promocao nem o destaque que devia ter, numa terra que ja foi o maior mercado desse producto.

Pouco adiantam as paragonas nos autocarros da autarquia, porque de facto ja nao somos a "Capital do Queijo" e ainda bem, porque estas coisas de "capitais" ja e um "slogan" que esta gasto de mais.

Fomos em tempos inovadores, aquando do acordo com o Instituto do Vinho do Porto, mas pelo que sei devido a inacao do comercio e industria do queijo, foi iniciativa que pouco resultou.

O que eu gostaria de ver era ideias novas, e ate parece que algumas ate podem germinar brevemente.

Por exemplo porque nao aparece nenhuma empresa privada, a abrir uma casa com productos regionais onde o "Queijo" seria o rei na vila de Fornos, e ate outra em Vila Ruiva junto ao "Centro de Ferias do INATEL"?

Alem disso adoraria que sem rivalidades bacocas, existisse uma verdadeira cooperacao, por parte dos dois maiores concelhos productores deste producto de excelencia, o saborozissimo e genuino "Queijo da Serra"!

15 comentários:

O Micróbio II disse...

Ainda ontem fui comprar um a uma loja que abriu recentemente na zona histórica da cidade da Guarda... "Produtos da Terra" junto à Porta do Sol... passe a publicidade! :-)

quintino disse...

Eu não aprecio, mas tenho de admitir que é um enorme quiejo.
E que urge encontrar formas de o defender e promover condignamente!

M. Relvas disse...

O "Queijo da Serra" é um dos embaixadores de Portugal.

É preciso dar-lhe a atenção que merece. O afunilamento da pecuária, com a falta de ovelhas, leva os produtores a buscarem leite espanhól. Por vezes até lá são fabricados. Assim se desperdiça o que de melhor temos...

Os municípios devem dar as mãos na promoção e comercialização do queijo e seus produtos tradicionais, onde destaco também a morcela da Beira que hoje é fabricada e comercializada em massa apenas com o nome.

O produto caseio -artesanal, deve levar um rótulo identificativo, de modo a que o cliente quando compra saiba o que é que escolhe!

Abraço

ANTONIO DELGADO disse...

Amigo Al CArdoso, Gosto muito deste produto bem como do pão de centeio que é outro elemento genuinamente beirão. Infelizmente tive que cortar, não privar-me, devido a fazerem engordar muito. O queijo da serra continua a ser o elemento que levo para dar de presente aos meus amigos Espanhóis e Franceses.
E eles adoram-no como uma das essencias em queijos. Infelizmente Portugal não tem uma cultura para a defesa dos seus verdadeiros produtos. Por exemplo em Espanha na Zona relativamente proxima de Alforges como é a de Caceres, Comercializam um queijo designado a "tarta de alcazar" que difere muito pouco do queijo da serra e é um produto muito bem comercializado e até como produto de luxo. Os franceses no sector dos queijos protegem os seus e comercializam-nos como se fossem diamantes e ouro. Mas estes dois paises tem culturas identitárias mito forte que se manifestam também pelos seus produtos e a cultura com que os comercializam...e nós?

Foram por exemplo amigos franceses que me ajudaram a descobrir a variadissia gama de queijos que temos e até aos anos noventa nunca tinha reparado, em certa medida diziam-me que no sector dos queijos Portugal é o país mais parecido com frança. Para eles o queijo é quase como uma religião.

Acho muito bem e pertinente que alerta sobre este produto como meio para potenciar a economia local e como meio identitário de uma região. Lembro-me que havia uma feira de queijo para os lados de março em Foros de Algorges...ainda há?

parabens po este poste sobre uma coisa que é um dos grandes valores gastronómicos do nosso país.

Um abraço fraterno
António

ANTONIO DELGADO disse...

DEsculpe escrever Algorges em vez de Algodres...foi distração um fraterno abraço!

redonda disse...

Parecem óptimas ideias (e a fotografia deu-me fome do queijo :)
um beijinho e bom fim de semana :)

joão oliveira disse...

Saudações Cardoso.
Temos que fazer a divulgação dos nossos bons produtos regionais, que apesar de serem bons, por si só não fazem a divulgação toda.
O queijo serra da estrela é um dos produtos mais tipicos da nossa região, para não falar do cabrito, chouriça, morcela, farinheira, presunto, entre outros.
Já me estava a esquecer que há gente de Fornos de Algodres que assa o porco no espeto que é uma verdadeira delicia.
Não é só gastronomia, mas também.
um abraço.

Tozé Franco disse...

Ai o queijo!.... Que se lixa o colesterol.
Viva o queijo da Serra.
Um abraço.

Lord of Erewhon disse...

Desses sou capaz de mamar um inteiro, com boa broa e um tintol como deve ser! :)

Abraço.

Maria disse...

E dás-lhe muito bem....
Para além de um parecido com o da foto, trouxe ontem, de uma Festa, outro de Castelo Branco, dos picantes......
... e que se lixe o colesterol....

Um abraço

M. Relvas disse...

Mude,
mas comece devagar,
porque a direção é mais importante
que a velocidade.
Sente-se em outra cadeira,
no outro lado da mesa.
Mais tarde, mude de mesa.
Quando sair,
procure andar pelo outro lado da rua.
Depois, mude de caminho,
ande por outras ruas,
calmamente,
observando com atenção
os lugares por onde
você passa.
Tome outros ônibus.
Mude por uns tempos o estilo das roupas.
Dê os teus sapatos velhos.
Procure andar descalço alguns dias.
Tire uma tarde inteira
para passear livremente na praia,
ou no parque,
e ouvir o canto dos passarinhos.

Veja o mundo de outras perspectivas.
Abra e feche as gavetas
e portas com a mão esquerda.
Durma no outro lado da cama...
depois, procure dormir em outras camas.
Assista a outros programas de tv,
compre outros jornais...
leia outros livros,
Viva outros romances.
Não faça do hábito um estilo de vida.
Ame a novidade.
Durma mais tarde.
Durma mais cedo.
Aprenda uma palavra nova por dia
numa outra língua.
Corrija a postura.
Coma um pouco menos,
escolha comidas diferentes,
novos temperos, novas cores,
novas delícias.
Tente o novo todo dia.
o novo lado,
o novo método,
o novo sabor,
o novo jeito,
o novo prazer,
o novo amor.
a nova vida.
Tente.
Busque novos amigos.
Tente novos amores.
Faça novas relações.
Almoce em outros locais,
vá a outros restaurantes,
tome outro tipo de bebida
compre pão em outra padaria.
Almoce mais cedo,
jante mais tarde ou vice-versa.
Escolha outro mercado...
outra marca de sabonete,
outro creme dental...
tome banho em novos horários.
Use canetas de outras cores.
Vá passear em outros lugares.
Ame muito,
cada vez mais,
de modos diferentes.
Troque de bolsa,
de carteira,
de malas,
troque de carro,
compre novos óculos,
escreva outras poesias.
Jogue os velhos relógios,
quebre delicadamente
esses horrorosos despertadores.
Abra conta em outro banco.
Vá a outros cinemas,
outros cabeleireiros,
outros teatros,
visite novos museus.
Mude.
Lembre-se de que a Vida é uma só.
E pense seriamente em arrumar um outro emprego,
uma nova ocupação,
um trabalho mais light,
mais prazeroso,
mais digno,
mais humano.
Se você não encontrar razões para ser livre,
invente-as.
Seja criativo.
E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa,
longa, se possível sem destino.
Experimente coisas novas.
Troque novamente.
Mude, de novo.
Experimente outra vez.
Você certamente conhecerá coisas melhores
e coisas piores do que as já conhecidas,
mas não é isso o que importa.
O mais importante é a mudança,
o movimento,
o dinamismo,
a energia.
Só o que está morto não muda !
Repito por pura alegria de viver:
a salvação é pelo risco, sem o qual a vida não
vale a pena!!!
(Clarice Lispector)
Estarei ausente um tempo.É hora de descanso e mudança... Até breve!

Vagamente disse...

Amigo Cardoso, que bom o queijinho da Serra, é pena que depois de se comer muito faça esquecer o nome a alguns anónimos deste mundo global.
Um abraço
Luís Almeida Pina

Carlos de Matos disse...

Falta de Visão...

Penso sem duvida que o queijo pode ser uma fonte de sustento duravel para as nossas terras.
No entanto o empreendimento necessario precisa visao global, sem entrar em reconstruçao idealista do mundo. Lembro-me da acçao da Camara de Fornos de Algodres que levou um grande quantidade de queijo para os USA durante uma visita nao sei bem em que quadro. Vi essa reportagem na RTPi e sinceramente o autarca defendeu brilhamente o producto.
Podemos lançar um workshop sobre esse assunto afim de procurar pistas para actores locais e oficiais, apoiando-se nao sei em estudantes fornenses na area da acçao comercial, força de venda, marketing...

Aqui fica um apelo pragmatico e o meu voluntariado.

Abraço Forninhense

Serrano disse...

Pois o presidente da Camara de Fornos, de facto levou muito queijo aos EUA, pena é que o queijo que levou fosse todo ele de fabrica, industrial, qd temos o genuino queijo serra da estrela.

pergunto o que a autarquia de fornos tem feito na promoção e marketing relacionados com o queijo Serra da Estrela?

Eu e todos, ultimamente, temos assistido á boa promoção que o concelho vizinho de Celorico da Beira tem efectuado, tanto em portugal como no estrangeiro

Papoila disse...

Ainda bem que alguém publicita e bem o que de bom há na minha terra, Celorico da Beira. Obrigada

Beijos
BF