quinta-feira, maio 24, 2007

"ROTA NEOLITICA", XIX, o "CHIAFA"!

"Casa da Justica" de Fornos de Algodres, em cujo andar inferior se encontra o "CHIAFA".

Na minha proposta "Rota Neolitica" ou "Dolmenica", tendo como ligacao principal a auto estrada 25, deveria ter a sua saida em Mangualde caso se venha do litoral, ou em Fornos de Algodres caso se venha dos lados da "raia".

Desde ai, cada qual escolheria a rota que deseja-se, visitando as varias antas ja por mim descritas nas entradas anteriores. Para que a visita seja mais documentada, nalgum ponto deveria incluir uma passagem pelo CHIAFA, ( Centro Historico de Investigacao Arqueologica de Fornos de Algodres) http://www.cm-fornosdealgodres.pt/idx_ha.htm, para se poder ter uma ideia melhor, de como eram essas civilizacoes antigas.

Nestas coisas da cultura tambem deve estar incluida a gastronomia, nao fazendo propaganda a nenhum estabelecimento especifico, quero lembrar algumas das coisas boas destas terras: O cabrito ou borrego assado no forno, as murcelas e os chouricos beiroes, o "queijo da serra", o requeijao, os pasteis de feijao, e o famoso "vinho do Dao", entre tantas outras coisas.
Ao terminar, quero fazer votos que para algo tenham servido, estas minhas entradas sobre as "Antas, Dolmens ou Casas da Orca"

14 comentários:

Fernando disse...

Mais uma boa sugestão para um fim de semana, desses quentes e compridos que ai se aproximam. Sendo assim é pena que o espaço arqueológico se encontre fechado para receber as pessoas nos dias em que tem mais disponibilidade para tal, fins de semana e feriados.
Abraço.

al cardoso disse...

Pois e Fernando, ja sugeri ha algum tempo uma reformulacao de horarios, tanto do CHIAFA como do Posto de Turismo, mas nao se gosta de inovar, por isso continuamos a regredir!
Um abraco.

Amaral disse...

Al Cardoso
Mais uma curiosa sugestão.
Abraço

ppn disse...

Caro Albino
Como prometido aqui vão algumas considerações sobre a Rota Neolítica

1 - Dar-lhe os parabéns pela sua visão alargada a outros concelhos da importância do património cultural, nomeadamente o megalítico, para o desenvolvimento da região.
2 - Vêm aí os fundos comunitários que dão preferências às iniciativas inter-municipais, como referiu no post anterior. Há que aproveitar para apresentar projectos em que pode haver esta cooperação inter-municipal. O património cultural é uma delas.
3 - Para uma ideia destas avançar, será preciso vontade política por um lado, mas principalmente técnicos em cada uma das autarquias que alertem os respectivos executivos para esta temática. Em Mangualde e em Penalva do Castelo a época em que se avançou mais na área do Património Cultural foi quando as respectivas câmaras municipais tiveram como colaboradores pessoas formadas nesta área. Uma alternativa seria o empenhamento da sociedade civil através das associações já existentes.
4 - A valorização destes monumentos permitiria torná-los recursos não só turísticos, como também sociais e educativos que poderiam ser explorados pelas redes sociais e pelas comunidades educativas de cada um dos concelhos.
5 - Permitiria também torná-los um polo de atracção e de dinamização das comunidades locais e promover uma maior consciêncialização destas comunidades para a preservação do seu património.
6 - havendo necessidade de criar pontos de ligação, como o CHIAFA, promovia-se a renovação dos postos de turismos e/ou o estabelecimentos de centros interpretativos.

Como vê a sua excelente ideia pode potenciar diversas áreas essenciais como seja a economia local, a educação, o turismo, a acção social.

Mais uma vez parabéns pelo seu trabalho em prol do Património Cultural da nossa região, e do seu concelho em concreto.

O Micróbio II disse...

Mais uma sugestão a ter em conta... e já que se aproxima um fds sem chuva! Esperemos...

morffina disse...

Desconhecia. Obrigado.

Abraço
MF

antonio disse...

No concelho de Carregal do Sal existe há já vários anos um circuito denominado circuito das antas, onde esses monumentos foram alvos de uma intervenção, assim como o local envolvente e todo o circuito.Eu já o fiz várias vezes. Acho excelente a sua ideia ideia, há que as autarquias darem as mãos e pô-la em prática.
Eram também importante que a população fosse sensibilizada para esse tipo de cultura e aos domingos e feriados, em vez de se irem enfiar nos hipermercados levassem os filhos a visitar esse monumentos, porque eles até gostam para além de ser mais saudável.

TSFM disse...

Não tenho tido mãos a medir com o trabalho...porém não considere o meu amigo AL que tenho edescurado a leitura dos seus posts...
Isso nuna. Aliás, tal leitura para mim é como um bálsamo para estes dias de atarefada azáfama.
Um abraço.

A. João Soares disse...

Caro Albino, não faltam ideias de uns tantos eruditos e interessados pela riqueza cultural do País.

Provavelmente faltam pessoas esclarecidas em frente das autarquias. Se não faltam, e oxalá que não, que façam algo de útil seguindo as ideias aqui expostas.

As próprias escolas poderiam fazer pequenos passeios às antas, aproveitando para, pelo caminho, olharem pra a botânica e os trabalhos agrícolas.

Ensine-se as crianças a olhar e a compreender aquilo que está na sua frente.

Abraços

Pirata das Berlengas disse...

Caro Al Cardoso,

Vim visitar este seu blogue e encontrei imenso material de interesse e sobretudo a vontade que está por trás de valorizar o Património Português e a região que traz no coração. Parabéns e também já lhe respondi lá na "Península Encantada"!

Quanto ao comentário que aqui deixou o comum Amigo A. Jão Soares, devo dizer que concordo com ele e que seria de imensa importância educar as Crianças para estas realidades e a necessidade de preservá-las e enriquecê-las.

Abraço d'O Pirata

Anónimo disse...

SpOOOOOOOORtinG!!!!!!!!!!!!!!!



:-D




Ehehehehhehe...Bjs

A SULISTA

MRelvas disse...

Interessante e logo de manha a abrir o apetite...fiquei com água na boca!

Abraço

MR

Raquel Rita disse...

Ólá, fiquei hoje a conhecer o seu muito interessante blog, dou-lhe os meus parabéns acima de tudo por estar a proporcionar a quem gosta a oportunidade de conhecer e visitar antas que ainda não conhece.
Porém, e depois de ter passado 4 dias numa rota auto-preparada por alguns castros, inscrições e sepulturas, cheguei á (triste) conclusão que estes locais raramente estão (bem) identificados a partir da estrada principal da povoação mais próxima e os habitantes locais, normalmente idosos, não se interessam pelo local ou não o querem indicar a estranhos.
Por esta razão peço-lhe que junte ao seu blog um mapa com as indicações de como chegar a estes belos locais, ou até mesmo as coordenadas de GPS, com o google maps, por exemplo, já consegue marcar os locais e já ajuda a que quem não é da zona os consiga visitar.

Obrigada

al cardoso disse...

Cara Rita:

Suponho que as experiencias que refere nao tenham sido no municipio de (Fornos) D'Algodres!

Por ca temos tido o cuidado de identificar os nosso monumentos, embora por vezes aparecem uns quantos vandalos que destroem os paineis, mas vao-se reparando.

Se acaso quizer visitar esta nossa regiao, venha pela A25 e normalmente encontra muita informacao, mas se desejar mais, no centro da vila de Fornos de Algodres, pode encontra-la no CHIAFA, "Centro Arqueologico".
De qualquer forma bem haja pela sugestao, que tratarei de por em pratica, com os meus fracos conhecimentos de informatica!


Um abraco dalgodrense.