segunda-feira, fevereiro 04, 2008

Fevereiro, "O Mes do Queijo da Serra"!!!


Porque e neste mes, que realizam a maioria (ou ate a totalidade) das "Festas-Feiras do Queijo da Serra", decidi interromper a serie de entradas sobre os "Pelourinhos d'Algodrenses" e, dedicar este mes ao "Queijo da Serra da Estrela".

Publico o cartaz, que o meu municipio inclui no sitio municipal, a divulgar a "nossa Feira", fazendo votos que alguns dos meus leitores, possam nesse fim de semana, programar uma deslocacao as "Terras de Algodres", para provar e comprar um dos melhores queijos do mundo!
Podem nessa visita tambem, admirar as nossas belas paisagens e visitar os nossos monumentos, que comprovam o povoamento desta regiao, desde pelo menos 3000 anos antes da era actual.
Esta visita pode servir tambem para conhecer, a nossa gastronomia saborosa e nalguns casos unica, pois por ca, ha muito mais do que "Queijo da Serra"!

17 comentários:

Maria disse...

huuuummmmmmmmm...Não vou aí à Serra agora no Carnaval só por questões financeiras :-/ Mas terei quem me traga um queijo destes directamente daí!..tenho familiares daí :-)


Bom Feriado amigo Al Cardoso

Amaral disse...

Al Cardoso
Queijo da serra que é um dos ex-libris de fornos. espero que seja uma valente feira.
Bom carnaval
Abraço

Zé Abílio disse...

De feira do queijo, já só tem o nome!
Actualmente quem quiser um genuíno queijo da serra, já não vai comprá-lo à feira, mas sim ao "pequeno e desapoiado" produtor, que, teimosamente continua atrás do "cú da ovelha" e, à "surrelfa" dos senhores dos canudos, vulgo "engenheiros" (que acerca do fabrico, cura e conservação do queijo nada sabem... mesmo nada!), ainda produzem um produto que deveria ter sido defendido na nossa "beira mais alta", com a política bem longe daqui!!!
Zé Abílio (Cadoiço)

Anónimo disse...

Caro Abílio,

Se a ASAE lê o seu comentário, começam a "varrer" de uma ponta à outra os produtores, e o tal queijo da serra, produzido à boa maneira de antigamente, esse sim o verdadeiro Queijo "Serra da Estrela", desaparece de vez!!!!!
Pessoalmente não me incomodam os tais "Engenheiros" nem as suas ideias, desde que o produtor arranje maneira de produzir o queijo, com base nos bons costumes populares, procurando manter um produto final, o mais genuíno possível.

Que se "lixem" os Senhores dos canudos, das políticas, da segurança alimentar, e outros, que aparentam ter um certo gosto por fazer desaparecer velhos costumes gastronónicos, costumes esses que chegaram até nós através dos nossos pais e avós, e que, dificilmente continuarão nas gerações vindouras.
Vivam as moelas, os caracóis e as caracoletas, os peixinhos do rio, as iscas, a orelha de porco, os pipis, os peixinhos da horta, as saladas de polvo, e muitos outros petiscos condenados a desaparecer das tabernas, cafés e restaurantes do nosso país, e que tão bem sabem quando acompanhados por um tinto ou cerveja, na companhia de gente amiga.

Cump's
O anónimo

CMatos disse...

Al, não sou grande apreciador de Queijo, mas de quando em quando vai uma tincazinha.
Boa feira, boas vendas, e que voltem os pelourinhos, desses gosto mais.
Abraço.

Tozé Franco disse...

Ai que já marchava um pouco.
Pena estar de cama e não poder sair de casa.
O que vale é que ainda tenho a despensa fornecida.
Um abraço.

Alex disse...

Em Fornos de Algodres há bom queijo da serra mas também há uns "queijinhos" apetitosos. No meu tempo de liceu em Mangualde havia-os espero que continue assim....
:-)

Um Abraço

ANTONIO DELGADO disse...

Quando voltei a Portugal comia queijo à colherada...depois tive de fazer regime...é de facto fabuloso. Uma dávida dos Deuses que os meus amigos em Espanha e FRança ficaram adeptos.

Não terei tempo para ir.

Um abraço
António

Magno disse...

Com muita pena minha ainda não vai ser este ano que aí vou por esta altura.
Talvez num futuro próximo esta feira possa ser dinamizada de outra forma.
Quem sabe a vontade da população local nos traga novas mudanças!
A verdade é que a tradição têm se vindo a perder no concelho ao longo dos anos.
O próprio leite de ovelha já não provém de ovelhas dos pequenos pastores, muitas vezes vai - se buscar a Espanha.
Falando agora em Engenheiros e Doutores, a dissertrem a respeito do queijo da Serra, conto vos agora um episódio em Maceira freguesia de Fornos de Algodres, terra natal dos meus pais.
Estava eu a terminar o curso à volta de 4 anos quando fui visitar um amigo a casa dos seus pais e a sua avó produzia queijo artesanal de ovelha.
Após uma breve conversa esta senhora mostrou me como se fazia o queijo de forma artesanal, e confesso que pensei quem somos nós senhores letrados para impor regras de produção, de um produto que têm milénios de existência por estas paragens!!!!!
Um abraço,

JPCLEMENTE disse...

Caro Al.:
Espero que esta festa seja um momento de confraternização entre todas as freguesias do concelho. Penso que estas festas também deveriam servir para unir as freguesias para projectos de desenvolvimento para as Terras de Algodres.
Um abraço amigo
JPC

Alexandre Lote disse...

Amigo Al, cá estaremos nósos fornenses para desfrutar desta feira que tanto nos orgulha!

Abraço

Klatuu o embuçado disse...

De orelha! ;)

Abraço!

P. S. Aqui deixo um convite.

Carlos de Matos disse...

Ola Fornenses,

..."Vou deixar uma ideia de promoção interconcelhia e penso realizavel.
As câmaras de Fornos e Aguiar, as juntas de freguesias, os parceiros economicos, sociais, culturais etc... as empresas de lazer, restaurantes, as casas de turismo.... toda essa boa gente poderia incentivar tendo uma coordenação para organizar um evento commun e relevando essa presuposta dinamica necessaria para o desenvolvimento.
A "Rota do Queijo", "Carreiro do Queijo" ou "Caminho do Queijo" qualquer projecto que uni-se toda a gente a volta de uma acção que ligaria Valverde, terra historica de queijeiros a Penaverde, terra de productores à Fornos de Algodres, plaça de venda e feira reconhecida... Essa Rota poderia ocorrer nessa epoca do ano onde cada um organiza sua festa do Queijo no seu lado e poderia materializar-se por um raid pedestre, uma meia maratona, um comboio equestre em bivuaque levando queijo de Valverde até Fornos Gare para o enviar para Lisboa ;o))... ou ficariamos com o nosso queijinho... nessa aventura Os industriais dos Lacticinios de Aguiar seriam parceiros essenciais... conuntamente com os productores tradicionais... aqui fica lançado uma ideia, o que é que pensam ?

Um Forninhense "...

extracto de um comentario que postei no Figueirola sobre o desenvolvimento local ;


http://ofigueirola.blogspot.com

Zé Abílio disse...

Amigo Carlos, mas qual incentivo para organizar um evento comum? O senhor não vê que já lá vai o tempo do associativismo! Antigamente, as pessoas uniam-se em virtude de necessitarem uns dos outros! Actualmente, quem anda no negócio do queijo é para ganhar dinheiro e nada mais, pouco ou nada se preocupando com a qualidade! Estão pura e simplesmente borrifando-se para as comunidades, turismo e afins!
Qual é o sítio na nossa zona que vive do turismo baseado no queijo?... zero!
Não compare o tradicional com o industrial, pois quem produz artesanalmente, é claro que quer ganhar o seu, mas tem brio em produzir o que de bom dá a terra. Agora, quem produz industrialmente, apenas quer obter a curto prazo o "lucro fácil" e nada mais!
Em Fornos há um exemplo grande, que enterrou alguns dos verdadeiros produtores do nosso queijo da serra. Na altura em que a fábrica se instalou, no dizer dos "nossos autarcas", esta iria proporcionar uma rentabilização do produto e ajudar os pastores, contudo, o que é que aconteceu? "Mamaram" os "milhones" da UE e a seguir fecharam a fábrica. Entretanto arruinaram a grande maioria dos pastores fabricantes do verdadeiro queijo!
Não acredita? Informe-se e depois comente!!!
Industriais de lacticínios?... fora daqui e o mais longe possível!!!
Zé Abílio (Cadoiço)

Zé Abílio disse...

Já estou a ser um pouco inconveniente, eu sei! Mas, quando me apercebi do comentário feito pelo senhor Alexandre Lote, não resisto a perguntar ao mesmo, se por acaso sabe qual é a percentagem de fornenses que desfrutam e se orgulham da actual feira do queijo?
POUCOS,... MUITO POUCOS!
Aliás... tirando os "acérrimos" frequentadores do pipo do vinho... mesmo muito poucos!
Zé Abílio (Cadoiço)

Carlos de Matos disse...

Ola fornenses :o))

resolvi responder em detalhe ao Zé Abilio ;o))

..."Amigo Carlos, mas qual incentivo para organizar um evento comum? O senhor não vê que já lá vai o tempo do associativismo!"...

Penso pelo contrario que ainda não chegou esse tempo segundo a minha definição. Os portugueses são individualistas e dificilemente percebem que o interesse do vizinho é tambem do seu interesse. Ja me pronunciei sobre esse factor societal como travão a iniciativa collectiva.

..."Antigamente, as pessoas uniam-se em virtude de necessitarem uns dos outros!"

Claramente em condições de sobrevivencia uma certa forma de solidariedade pode e deve ter existido para partilhar o pouco que havia. Senao restava a emigrição para escoar o augmento da população.
Eram tempos dificeis.

..."Actualmente, quem anda no negócio do queijo é para ganhar dinheiro e nada mais, pouco ou nada se preocupando com a qualidade! Estão pura e simplesmente borrifando-se para as comunidades, turismo e afins!
Qual é o sítio na nossa zona que vive do turismo baseado no queijo?... zero!"....

Ainda bem que alguns gagnam dinheiro com o queijo. E pelo contrario que fossem milhares deles a gagnar, productores, vendedores etc... E não é do turismo em si como o define que vejo o impacto do "queijo" seja ele tradicional ou industrial. Tome o exemplo dos Açores onde a agropécuria ligada aos lacticinios participa do desenvolvimento regional no entanto o cartaz turistico é bem outro. Havera sempre bom queijo e mao queijo seja de fabrica ou feito numa palheira...

..." Não compare o tradicional com o industrial, pois quem produz artesanalmente, é claro que quer ganhar o seu, mas tem brio em produzir o que de bom dá a terra. Agora, quem produz industrialmente, apenas quer obter a curto prazo o "lucro fácil" e nada mais!
Em Fornos há um exemplo grande, que enterrou alguns dos verdadeiros produtores do nosso queijo da serra. Na altura em que a fábrica se instalou, no dizer dos "nossos autarcas", esta iria proporcionar uma rentabilização do produto e ajudar os pastores, contudo, o que é que aconteceu? "Mamaram" os "milhones" da UE e a seguir fecharam a fábrica. Entretanto arruinaram a grande maioria dos pastores fabricantes do verdadeiro queijo!"...

Nunca comparei o "Queijo da Serra" ao queijo de fabrica. Cada um tem a sua clientela e qualidade. E a natureza das coisas fazem que os que não agem ficam de fora do negocio e os factos que você revela são mais do que subjectivos em relação a correlação de um projecto de fabrica em Fornos que não se concratizou com o estado financeiro de alguns produtores locais. As fabricas compraram milhares de litros de leite pela nossa região fora assegurando em parte um rendimento aos pequenos criadores.
Nada empediu a que se unissem mais criadores, productores para montar queijarias medias para elaborar bom "Queijo da Serra". Isso foi feito ultimamente e muita gente gagna dinheiro felizmente podendo ficar a viver nessas "Beiras".

..." Não acredita? Informe-se e depois comente!!!
Industriais de lacticínios?... fora daqui e o mais longe possível!!!"...

O meu avô teve ovelhas e fez queijo até aos 75 anos e você tem a inconveniencia de me dizer para me informar... ;o)) A qualidade do seu queijo foi sempre reconhecida e penso que ele foi um industrial talvez artesanal mas local.
Desculpe mas penso que o queijo é uma realidade cultural e industrial nas nossas terras e que merece uma atenção particular para incentivar como futuro de desenvolvimento para todos.

Anónimo disse...

Ao olhar com mais atenção para o cartaz, verifiquei que o mesmo indica FESTA e não FEIRA. Esta denominação tem aparecido em anteriores edições.
Tecnicamente isto significa que estamos perante uma festividade que procura promover um produto e não procurar vendê-lo.
Portanto podemos dizer que a antiga feira, que por acaso também era uma festa (se bem me lembro até as aulas dos antigos Colégio e Ciclo preparatório eram suspensas em deterimento da feira), já não existe.
Não sei se é bom ou mau! Tudo depende do ponto de vista de cada um!!!!

Cump's
O anónimo