segunda-feira, novembro 13, 2006

CIDADES e VILAS e suas incongruencias

Recentemente foram elevadas a cidade tres vilas do actual distrito da Guarda; Trancoso, Meda e Sabugal. Em minha modesta opiniao era melhor ser uma boa vila, que uma fraca cidade, mas nem toda a gente pensa como eu, felizmente (ou nao).

Dessas tres, mas isto digo eu, so talvez Trancoso estaria mais proximo dos meus parametros para ser cidade. No que toca as outras duas e sao terras que conheco bem,
nem pela populacao residente, nem por outros motivos deveriam ser cidades. Creio ate, que Celorico da Beira ate cumprira mais "items" para o ser do que aquelas.

Agora vejamos; brevemente vamos ter cidades que nao tem servico de urgencia de saude, que provavelmente perderam os seus tribunais, ou ficaram com categoria inferior, tem pouco mais que 2000 habitantes, etc. Digam-me la se isto e que deve ser uma cidade?

Ja no que toca a vilas, vou agora referir-me a minha: Fornos de Algodres, estou convicto de que para ser uma terra com prestigio, seja ela cidade ou vila deve pautar-se por algumas coisas basicas. Por isso vou enumerar algumas coisas que se deveriam fazer na vila de Fornos, para dessa forma poder passar a considerar-se uma vila media e nao continuar a ser uma vila-aldeia, como ja algumas pessoas escreveram.

- Toponomia; Existem contruidas ha ja para cima de dez anos, varias ruas e avenidas na chamada Zona Sul e no Bairro das Capelas, ha muito a necessitar de que lhe deem um nome. Queria sugerir nesta area, que os toponimos dados a essas arterias, reflectissem personalidades concelhias ou de alguma forma ligadas ao concelho, que para nao causar embaracos devem ser ja falecidas, ou entao figuras nacionais. Quando isso for feito nao esquecer tambem a colocacao de numeros de policia.

- Placas identificativas; Deveriam ser colocadas uma a seguir a curva de Peromoniz e outra ao Linheiro porque e ai realmente comeca a vila, outra deveria ser colocada antes da rotunda da Quinta do Alemao, vindo da A25.

- Para alem do mercado passar a ser pelo menos semanal como ja sugeri, deveria continuar a ter cinema, como ja teve e tambem ter uma agenda, com outro tipo de espectaculos culturais, pois se nada disso se faz, para que serve o auditorio da APSCDFA, (que nome comprido, por isso coloquei so as iniciais) inaugurado a poucos anos.

Virei outro dia dar mais algumas dicas, por agora chega.

12 comentários:

antonio disse...

Mangualde já foi uma "boa vila", hoje é uma "cidade fraca".Desorganizada em termos de parque industrial, descaracterizada em termos de ambiente, desorganizada e pouco estética em crescimento urbano e paisagístico.Mau aproveitamento das potencialidades económicas, etc...
Espero que não aconteça o mesmo a Fornos!

al cardoso disse...

Caro Antonio:
Nao diga tao mal de Mangualde, com tudo isso tomara eu que Fornos se aproxima-se da sua cidade.

Um abraco fornense.

yogoth disse...

Na minha opinião, nenhuma das 3 deveria ser considerada cidade, embora só conheça Trancoso, acho q tá mt longe de se equiparar a uma cidade e também concordo com o António, Mangualde (conheço bem), já foi uma boa vila...já enquanto cidade deixa mt a desejar.

Anónimo disse...

Nesse aspecto Ponte de Lima está uns pontos bem acima... orgulha-se de ser vila, apesar de na sua história a quererem promover por várias vezes a cidade.

Luis Almeida Pina disse...

Boas apenas para dizer, que não vou mais comentar nada, pois a minha frontalidade nesta terra leva a que as pessoas, andem a tentar lixar o parceiro, acusando-me de que eu tratei alguém mal não é o caso, pois fiz um comentário noutro blog e ele anda por todo fornos, por aqui me fico, mas todos os dias estarei a ler os seus postes, mas cuidado qualquer dia, tem os á perna.
Um abraço

Tozé Franco disse...

Mais vale ser vila de primeira do que cidade de segunda.
Começa-me a parecer que o distrito de Coimbra com as suas 4 cidades um dia destes é o distrito português com menos cidades.
Um abraço.

Fernando disse...

Mais umas boas e simples ideias,que pouco custariam aos cofres da autarquia. Quanto a questão do auditório, muitas vezes me perguntei com é possivell um espaço daqueles estar abandonado, vim a saber há algum tempo que não era finaceiramente viável o cinema continuar (será?, mas não deixa de ser uma pena, pk se o cinema não dá outros eventos provavelmente dariam,mas....
Como este é um tema que tenho vindo a meditar há algum tempo, gostaria de ler, que alternativas se poderia aplicar a este espaço, nunca comprometendo, nada nem ninguém finaceiramente, sé é que será possivel.
Abraço.

al cardoso disse...

Caro Pina:
Se e verdade que pelo facto de o meu amigo ter opinado o andam a prejudicar, lamento profundamente. Eu sei que somos de um meio pequeno, mas calculava que ja tinhamos evoluido um pouco mais, e que eram aceites opinioes varias. Infelizmente parece que nao, que ainda se vive no tempo da ditadura, ou da inquisicao.
O que realmente me choca a mim que quero o melhor para a minha terra, nao e sermos pequenos de tamanho e de populacao, e sermos pequenos em ambicao e em cultura e, continuar-mos com laivos de prepotencia.
Todos os "posts" que tenho colocado nos meus blogs tem sido com a intencao de ajudar a promover as nossas terras, se criticas ha algumas tem sido construtivas e, com ideias para melhorar algo que em minha modesta opiniao, estao menos bem. Sei que nao sou dono da verdade, nem tenho pertencoes a isso, tambem sei que muitos mais fornenses me lem do que os que comentam, penso com o seu comentario ja saber a razao.
Faco ardentes votos que a nossa gente, aprenda entao viver em democracia plena e possamos evoluir cultural, educacional e materialmente.
Mas se o meu amigo nao vive a mesa do orcamento, nao tenha medo.
Eu que sempre gostei de "ditos" populares, vou-lhe lembrar um: "Quanto mais a gente se baixa mais se nos ve o cu".
Um abraco fornense de amizade.

Heliocoptero disse...

Sabe que Portugal é uma terra onde demasiada gente dá demasiada importância a aparência e aos títulos. Todos querem ser cidade, porque é a categoria mais alta (logo prestigiosa) e há uma certa ideia de que ser cidade traz mais turismo e indústria, em suma, o desejado progresso. Já ouvi mesmo este argumento, quando a verdade é precisamente o oposto: são os atributos e qualidades que conduzem ao título, mas nunca ouviu dizer que em Portugal quer-se ser doutor antes de se ser douto?

al cardoso disse...

Caro Helioptero:

Doutas palavras!!!

Um abraco fornense.

Anónimo disse...

Amigo Cardoso obrigado pelas palavras, mas nesta terra é pior que a ditadura, e eles os Senhores, são tudo enquanto poder, qualquer dia não são ninguém, e todos lhes viram as costas, mas hoje tudo os informa, para prejudicarem quem trabalha e quer o melhor para a Terra que me criou.
Um abraço
AP

Nuno disse...

Hoje em dia devem ser consideradas dois generos de Cidades: A cidade do Interior arrumada bem projectada com espaços verdes com urbanismo, com a valências que já todos os nossos concelhos têm, boas bibliotecas, cinemas, piscinas. E as novas cidades do litoral, parecem autenticas aldeias grandes, mal iluminadas, mal projectadas, e que nao se despegam das aldeias periféricas o que apenas enriquece a sua estatistica populacional. A maior diferença entre as nossas Vilas e as Vilas do litoral é mesmo na desertificação corrente nas nossas aldeias e nas acessibilidades.
O titulo Vila ou Cidade é meramente administrativo e nãoé importante, até porque sou a favor passar todas as sedes de concelho a Cidade, assim acabam-se as "birrices" entre vizinhos.
Aqui da Nossa Zona e não querendo ser suspeito a falar penso que Trancoso está muitos passos à frente de Mêda, e talvez de Sabugal, pela sua história, pelo seu dinamismo comercial, e por outras razões. No entanto reconhecço que não está à altura de cidades como Mangualde, Fundão ou mesmo Seia.
A questão do fechar das urgências é uma questão que não diz só respeito as cidades ou vilas, é um caso nacional, aliás até as urgências do Curry-Cabral da Nossa " Capital" corre o risco de fechar. São as politicas macroeconomicas dos governos dos nossos ultimos 30 anos que poupam num lado e esbanjam pelo outro ( euro, TGV, etc)
Não querendo alargar muito pois muito haveria para dizer, desejo a todos um Bom fim de semana.

Nuno - Blog Medieval