sexta-feira, novembro 17, 2006

Toca a florestar o Monte do Crasto


Ja tinha lido no blog: "O Cantaro Zangado" (link aqui) e agora tambem no: "Coroas de Pinho" (link no judeus em terras de Algodres) e, noutros sitios que agora me nao vem a memoria, sobre o programa "Um milhao de carvalhos pra a Serra da Estrela".
Isto fez-me lembrar o "meu" Monte do Crasto, ou de S.Tiago, junto a muito querida aldeia de Vila Cha, mas ja incluido na freguesia de Figueiro da Granja, que eu conheci totalmente coberto de arvores.
Nesses tempos ainda nao tao distantes, que os varios incendios pelaram completamente, a maior parte das arvores ai implantadas eram os pinheiros bravos, embora se pudessem ainda ver tambem, alguns carvalhos negrais autocones que aquelas arvores resinosas vieram substituir.
Ora sendo a maior parte desse monte "baldio" e portanto propriedade da junta de freguesia, nao haveria muita dificuldade em implementar tambem ai uma campanha semelhante.
Eu sou a favor da sementeira de carvalhos negrais no Monte do Crasto, e voces?

Ps: a foto foi "roubada" do: "Coroas de Pinho"

17 comentários:

Jofre Alves disse...

Percorrer esta merecida página não é uma imposição, mas, tão-somente, um prazer lúdico, para ver a elegância, qualidade, de braço dado com a noção de estética e bem-fazer. Afinal, ao contrário do que diz Pacheco Pereira ainda de fazem bons blogues em Portugal, ou serei eu que tenho a sorte de puder apreciá-los e visitá-los. Embora tenha formação histórica, gosto de tudo o que diga respeito à minha terra e às suas tradições, usos e costumes. E por isso aprecio blogues de formatação regional e local.Óptimo fim-de-semana.

Bel disse...

Eu sou a favor do plantar de arvóres de todas as espécies.
Bom fim de semana

Anónimo disse...

Eu sou a favor da espécie autóctone... se o carvalho for específico dessa região, tb aprovo!

Fernando disse...

É sem dúvida um problema que percorre, todo o nosso concelho, e sem dúvida que se deveria apostar cada vez mais nisso, pelo menos em Figueiró já tá a acontecer, isto porque, depois de ler este post falei com alguns amigos de lá, o qual me disseram que já está projectado para essa mesma zona algumas mudanças, o qual inclui ainda uma lagoa com dimensão considerável.
Abraço e bom fim de semana.

Sulista disse...

...tudo menos eucaliptos ;-)


Al Cardoso,
Um Abraço de bom fim-de-semana!

mao morto disse...

Pelo direito à coabitação das espécies alóctones e autóctones finco os meus pés.

Os dois.

al cardoso disse...

Caro Jose Costa:

Fico imensamente contente, em saber que ja andam com ideias de reflorestacao para o Monte do Crasto, faco votos que se concretizem ainda na minha vida.

E ja agora se nao for pedir muito, tambem para o Monte Agudo e, para o Alto do Pendao, em Vila Cha.

Um abraco e bom fim de semana.

Anónimo disse...

Uma salva de Palmas para este artigo, muito bom, mais não digo, porque a PIDE de fornos anda por ai.
Mestres até um dia.

Anónimo disse...

Concordo em absoluto.

Carlos de Matos disse...

Ola a Todos §;o))

So posso concordar com o artigo !
A floresta é para mim um componente essencial.

Escreves-te "sementeira" e não "plantação" de carvalhos. Essa diferença é crucial num projecto desse tipo. Tenho efectuado varias experiencias no terreno para afirmar que o metodo de reflorestação actual, a plantação não està adequado geralmente para o nosso clima. E uma aberação ecologica, plantar carvalhos, por exemplo americanos, "Quercus Rubra" como se fossem arvores de pomar em terras de sequeiro. O que necessita uma rega ou duas na epoca seca. Não hà logica.

Vou documentar uma acção de florestação por sementeira de carvalhos, nogueiras... no fim deste mês em Forninhos, Aguiar da Beira e proponho-vos de partilhar pela internet esse assunto.

asn disse...

Nem de propósito, este post.
Ando às voltas com consultas e conversas acerca de árvores.
A razão prmeira prende-se com o qu se está apassar em Leiria. É verdade que na zona urbana se estão a plantar muitas árvores. No entanto o critério de selecção dessas árvores está a revelar-se insensata na minha opinião. Parece não haver grandes dúvidas quanto à necessidade de se presevarem as espécies autóctones mesmo tratando-se de árvores que terão uma função ornamental. Será que não é possível conciliar o ornamental com a presevação da nossa flora, mesmo nas zonas urbanas?
É que em Leiria pegou moda plantarem-se árvores de crescimento rápido de origem Brasileira, Japonesa, etc.
Estou muito desulado!

Anónimo disse...

Eu sou a favor, mas plantar só... não chega. É necessário cuidar, para que cresçam e os incêndios recorrentes ano após ano não as levem de novo, nem que a sede as consuma, como aconteceu no nosso parque dos poetas, ali para os lados do monte da Senhora do Castelo.
Abraço

Anónimo disse...

'roubada' mas por uma causa nobre amigo Al CArdoso...a foto é linda :-)


Assino por baixo as sábias palavras de 'Jofre Alves'!!

Um abraço Grande, aqui do império,
para aí, para o outro 'império' ;-)

A Sulista

Anónimo disse...

por aqui também se fazem reflorestações ...

GreenSky disse...

Sem as arvores a beleza seja onde for desaparece, só posso ser de acordo com a reflorestação e a protecção das espécies cinegéticas que ajudam a compor a paisagem.

Um abraço

Maria disse...

Figueiró da Granja trás-me más recordações, mas é tão bonito...
Toda essa zona, Fornos, etc. é tão linda...
Terei que vencer o meu não querer para voltar aí...
Bom fim de semana, al

Chanesco disse...

Caro ALgodres


A reflorestação faz-me lembrar um pouco aquela sugestão de: "não sujar para não ter de limpar".
Quando a floresta arde há que a plantar de novo.

Um abraço aqui da raia.