quinta-feira, novembro 15, 2007

A Desertificacao e as Pessoas!

Nao fiquei nada admirado, quando o ultimo senco nos deu a conhecer que todas as freguesias do concelho "D'Algodres", (a excepcao honrosa foi a "minha" Infias) tinham perdido e que continuam a perder populacao. Nao me admirou, porque os mais novos que cada vez menos filhos tem, tendem a deixar as nossas terras por falta de trabalhos, que teimam em nao aparecer e porque os mais velhos vao nos deixando fisicamente.
Ja o mesmo nao esperava da freguesia sede do municipio, porque mesmo nos concelhos mais desertificados, as vilas e cidades onde se encontra a sede concelhia, normalmente ganham habitantes, devido ao facto de ai se concentrarem praticamente todos os servicos e no nosso caso ate vao ser todas as escolas!
As pessoas em idade activa tem praticamente todas as vantagens para ai residir, pelo que nem sou contra o facto de deixarem as aldeias, embora me custe ve-las sem gente.
Mas no nosso caso devido as excelentes ligacoes entre as varias aldeias e a vila, (parabens ao bom trabalho da camara) ate talvez nem houve-se necessidade pela proximidade, pois em poucos minutos nos podemos por na vila, vindos de qualquer aldeia. Mas sao opccoes e agora com a decisao da concentracao de todos os alunos concelhios na vila, ate parecem acertadas!
O que eu francamente nao gosto, e de saber que muitos funcionarios publicos e outros, que tendo o seu trabalho estabilizado dentro do municipio, aqui nao residam.
A esses so gostaria de fazer uma pergunta: Entao a nossa terra e boa para aqui ganharem os seus salarios e ja nao e boa para aqui os gastarem?
Provavelmente uns incentivozitos municipais a exemplo de outros concelhos, talvez ajudassem a tomar a decisao de uma mudanca de residencia, mas tal como vao as financas por ca, nao creio que isso possa acontecer.
Dou entretanto os meus parabens a alguns poucos, que ainda contrariam a regra e decidiram chamar sua a nossa terra, enquanto fico a fazer votos que outros lhes sigam o exemplo.
Na realidade por vezes penso que a nossa localizacao a meia distancia entre a Guarda e Viseu e junto a uma auto estrada nao nos tem ajudado nada!
Por ca temos bons equipamentos e boas vias de comunicacao, tanto rodoviarias como ferroviarias, o que realmente falta e gente, e massa critica que faca progredir esta terra que eu tanto amo!

7 comentários:

Magno disse...

Amigo Al,
Celorico da Beira foi o único concelho que ganhou população!
O nosso concelho agora com a A25 é possivel que exerça infelismente num futuro próximo a função de dormitório das cidades de Viseu e da Guarda.
Quanto ao projecto que lhe falei, as coisas estão paradas por falta de tempo de muitos dos interessados!
Um abraço,
Magno.

al cardoso disse...

Caro Magno:
Olhe ate nem me importava que funciona-se como dormitorio dessas cidades.
Mas o que esta a acontecer e que sao elas (as cidades referidas) o dormitorio de muitos dos que trabalham na nossa terra!

pensarfornos disse...

Amigo Cardoso:
É lamentável que cada vez mais a nossa terra vá ficando deserta. Todavia os incentivos e o próprio ambiente social leva a que muitos a deixem. Há que mudar mentalidades e incentivar as pessoas a ficarem na sua terra. Os quadros superiores não encontram aqui colocação. Porque não dar prioridade, em termos de concurso para lugares públicos, aos naturais ou residentes nesta terras? Isto só será possível quando os governantes apostarem na REGIONALIZAÇÂO.
Uma boa Semana

Amaral disse...

Al Cardoso
Este problema da desertificação é mais complicado do que se pensa. Todos falam em fixar pessoas no interior, mas ficam-se só pelas palavras.
Abraço

Anónimo disse...

Amigo Cardoso infelismente mais uma vez tenho que concordar consigo, não vamos ser dormitorio dessas cidades. JA SOMOS , e não estou so a falar da função publica em geral porque essa se formos analizar só 10% é que vive cá, mais flagrante é a autarquia que dá empregos aos filhos dos pápás e estes váo dormir a Viseu a "maioria" porque fornos é horrivel , e como diz o João e muito bém temos alguns licenciados desempregados.Talvez por n terem a cunha certa. Acho que os autarcas deviam ser os 1º a dar o exemplo . Bjs a todos Sandra

Frederico disse...

Caro Albino,
Conhece-me o suficiente para saber que não poderia deixar de comentar este post.
Posso dizer-lhe que estive ontem no centro de incubação de empresas de Abrantes, TAGUS VALLEY, e percebi a importância destas infraestruturas na angariação de empreendedores na área de serviços não localizados.
Isto, tal como tenho insistentemente referido, permitirá ter p.e. designers, tradutores ou mesmo "costumer support" em regiões de elevado nivel ambiental e baixo custo de vida em todo o interior português.
O futuro está nas nossas mãos e somos nós e não outros que temos que actuar neste objectivo.

Um forte abraço

aminhapele disse...

Olá Al!
Perder população é um problema geral que,em minha opinião,terá relativamente pouco a ver com a fixação de trabalho ou residência.
Creio que a questão é mais profunda:
Os jovens casais,quando entram no mercado de trabalho procuram consolidar a sua situação profissional.Durante alguns anos,ter um filho dificulta essa consolidação.
Quando consolidada,a predisposta mãe já vai nos trinta e muitos e está no termo da sua idade fértil!
Quando acontece,é uma gravidez de risco!
O mercado global,brutalmente agressivo,tem a ver com as taxas demográficas.
Desculpe se lhe ocupei muito espaço,mas esta é a minha opinião.
Um abraço.